Clicky

Com ajuda da Covid-19 e redução de investimentos, Vivo tem lucro de R$ 1,2 bilhão no trimestre

Luís Osvaldo Grossmann ... 28/10/2020 ... Convergência Digital

A Telefônica Vivo festejou nesta quarta, 28/10, o aumento de 25,5% no lucro, que chegou a R$ 1,2 bilhão no terceiro trimestre, em comparação com o trimestre imediatamente anterior. Em que pese um período em que a receita líquida caiu 2,3%, para R$ 10,79 bilhões, o resultado final foi compensado por reduções nos investimentos e nas despesas administrativas. E pela ajuda dos recursos públicos via Auxílio Emergencial e complementação salarial em medidas de combate aos impactos da pandemia de Covid-19. 

A Covid-19 parece ter ajudado em diferentes frentes. A telefonia pré-paga (+5,8%) e as conexões de banda larga fixa (+5,4%) tiveram alta em um trimestre marcado por quedas no pós-pago (-2,5%), nos serviços de dados corporativos e TI (-9%), na TV por assinatura (-9%) e na telefonia fixa (-17,8%). Como apontou o presidente da Vivo, Christian Gebara, ao apresentar os resultados, a necessidade de conectividade em casa e a ajuda financeira aos mais pobres fizeram diferença. 

“As pessoas estão precisando ainda mais estar conectadas. E tivemos resultados fortes no pré-pago, um crescimento de 5,8%, por vários motivos, como a maior necessidade de conexão e o fato de que aprimoramos nossas ofertas. A ajuda governamental com distribuição de dinheiro para pessoas em situação vulnerável ajudou as pessoas a consumir e isso teve um impacto direto na nossa performance”, afirmou. 

Como mostra o relatório trimestral da operadora, a Vivo também se valeu da prorrogação de vencimentos de taxas e tributos (MPs 927 e 952) e dos dispositivos da MP 936, sobre redução da jornada e suspensão de contratos de trabalho. “Em função da adesão à Medida Provisória 936/2020, durante os meses de maio a setembro de 2020, os colaboradores da Companhia receberam, diretamente da União, o benefício emergencial estimado em R$ 24,8 milhões.”

Paralelamente, a empresa reduziu os investimentos em 25,8%. Eles somaram 1,8 bilhão no terceiro trimestre, focados especialmente na ampliação da rede de fibra, com ampliação para mais 28 cidades e chegando a 244 – com planos de alcançarem 268 até o fim deste 2020. No fim do terceiro trimestre, a Vivo contava com 14,6 milhões de domicílios cobertos com FTTH e 3,1 milhões de acessos ativos. 


Internet Móvel 3G 4G
Governo e teles negociam um piloto 5G standalone

O anúncio foi feito pelo ministro das Comunicações, Fábio Faria. Segundo ele, seriam 20 pontos em todo o Brasil e outros ministérios participariam como o da Agricultura e o de Infraestrutura. "Queremos testar antes mesmo do leilão como funciona o 5G standalone. As negociações estão em andamento", disse.

Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Ganho global com Wi-Fi e Wi-Fi 6E chega a R$ 26 trilhões até 2025

Estudo destaca que o uso total da faixa de 6 GHz, com 1200 MHz para sistemas não licenciadas servirá como condutor de crescimento a taxas anuais de 150%. Também será essencial para o impulso da Internet das Coisas.

Veja mais matérias deste especial    •    Inscrição gratuita - Clique aqui

CVM cobra Telebras que anuncia renovação por 10 anos de contrato com Eletrobras

Acordo vale para o uso de fibras óticas e infraestrutura de telecomunicações com a Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A (Eletronorte) e Furnas Centrais Elétricas S/A (Furnas). Estatal teve movimentação atípica de ações.

Minicom: “Queremos o 5G standalone, que é o 5G de verdade, não um 4G plus”

Ao concluir viagem à Europa e Ásia para falar com fabricantes de equipamentos, o ministro das Comunicações, Fabio Faria, avisou que o governo também defende a exigência do release 16 do 3GPP no leilão da quinta geração. 

Claro e Vivo se isolam contra a exigência do 5G pleno

TIM, provedores regionais, pequenos prestadores e operadoras competitivas reforçaram aos parlamentares que 5G pleno não custa mais nem atrasa implementação no Brasil.

Anatel publica regras para fim das concessões de telefonia

Regulamento de Adaptação do STFC traz prazos e procedimentos para Oi, Telefônica, Claro, Algar e Sercomtel decidirem sobre a migração do regime público para privado. 




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G