Clicky

INOVAÇÃO

Robôs vão eliminar 85 milhões de empregos em 26 países, Brasil entre eles

Luís Osvaldo Grossmann ... 21/10/2020 ... Convergência Digital

A Covid-19 acelerou o processo de substituição de humanos por robôs, indica o relatório O Futuro dos Empregos 2020, divulgado nesta quarta, 21/10, pelo Fórum Econômico Mundial. Segundo o estudo, o crescimento da automação vai implicar na perda de mais de 85 milhões de empregos nos 26 países pesquisados, o Brasil entre eles, até 2025. 

A pesquisa aponta que mais de 80% dos executivos estão acelerando os planos para digitalizar processos de trabalho e implantar novas tecnologias; e 50% dos empregadores esperam acelerar a automação de algumas funções em suas empresas – percentuais que no caso do Brasil são ainda maiores, de 92% e 68%, respectivamente.

Cerca de 43% das empresas pesquisadas indicam que estão decididas a reduzir a força de trabalho devido à integração de tecnologia, 41% planejam expandir seu uso de contratados para trabalho especializado em tarefas e 34% planejam expandir sua força de trabalho devido à integração de tecnologia. 

Como resultado dessa dinâmica, em 2025 o tempo de trabalho realizado por máquinas será quase o mesmo do despendido por humanos – se em 2020 a proporção é de 33% máquinas, 67% gente, em 2025 será 47% e 53%, respectivamente. As máquinas serão focadas principalmente no processamento de informações e dados, tarefas administrativas e trabalhos manuais de rotina.

Por outro lado, 97 milhões de novas oportunidades emergirão na economia de cuidados, nas indústrias de tecnologia da quarta revolução industrial, como inteligência artificial, e nos campos de criação de conteúdo. “As tarefas em que os humanos devem reter sua vantagem comparativa incluem gerenciamento, aconselhamento, tomada de decisão, raciocínio, comunicação e interação. Haverá um aumento na demanda por trabalhadores que possam preencher vagas na economia verde, funções na vanguarda da economia de dados e inteligência artificial, bem como novas funções em engenharia, computação em nuvem e desenvolvimento de produtos”, diz o relatório.

Em demanda crescente estão funções como analistas e cientistas de dados, especialistas em IA e aprendizado de máquina, engenheiros de robótica, desenvolvedores de software e aplicativos, bem como especialistas em transformação digital, em automação de processos, em internet das coisas e analistas de segurança da informação. 

Por outro lado, escriturários, secretários administrativos e executivos, contadores e auditores, montadores e operários de fábrica, bem como gerentes de serviços comerciais e administrativos envolvem tarefas que tipicamente serão substituídas por máquinas. Segundo a FEM, praticamente 50% dos trabalhadores precisarão de requalificação ao longo dos próximos cinco anos.


Fintech nacional de meio de pagamento recebe aporte de R$ 90 milhões

A Hash recebeu aporte liderado pelo fundo QED Investor. O montante será aplicado para escalar a infraestrutura de pagamentos, possibilitando o processamento de mais de R$ 1,5 bilhão ainda este ano.

EMBRAPII e FIESP incentivam projetos inovadores de startups

Iniciativas podem envolver áreas, entre outras, como Inteligência Artificial, Mobilidade, Bioeconomia, Grafeno, Biofármacos e Manufatura 4.0.

Lei de Informática permitiu ao Brasil ter maior infraestrutura de IA na América Latina

Instituto de Ciência e Tecnologia SiDi, Samsung, NVIDIA Enterprise e Pure Storage são responsáveis pelo primeiro supercomputador do país. Máquina tem capacidade de fornecer 125 petaflops, o que significam dois milhões de notebooks trabalhando em conjunto para realizar tarefa similar. Instituto SIDI abre vagas para contratar profissionais de TI.

Transformação digital: um movimento com vencedores e perdedores

A afirmação é do cofundador da Decoupling.co, Thales Teixeira, sobre a digitalização do mundo acelerada pela Covid-19. Para o especialista, 2025 já chegou e exige uma readequação imediata das empresas por sobrevivência.

Governo destinou quase R$ 100 milhões para projetos de cidades inteligentes

O secretário Nacional de Mobilidade e Desenvolvimento Regional e Urbano, Tiago Queiroz, disse que há projetos especiais como o água 4.0 e saúde 4.0. A deputada federal do PP/SC, Angela Amin, reforçou que as pessoas são a síntese das cidades inteligentes e é preciso um esforço para capacitar gestores públicos municipais e estaduais.



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G