Clicky

Convergência Digital - Home

Microsoft elege o Rio de Janeiro para novo datacenter no Brasil

Convergência Digital
Luís Osvaldo Grossmann - 20/10/2020

A Microsoft anunciou nesta terça, 20/10, a disponibilidade de um novo datacenter no Brasil. Instalado no Rio de Janeiro, ele inaugura uma nova região do Azure, o serviço de computação em nuvem da empresa, além da existente em São Paulo desde 2014. 

Segundo a presidente da Microsoft Brasil, Tânia Cosentino, a nova estrutura atende o crescimento da demanda por serviços de nuvem e endereça preocupações com a localização dos dados em território nacional. Segundo apontou, o mercado de computação em nuvem vai dobrar neste ano, tanto no mundo em geral como no Brasil especificamente. 

“Com a transformação digital ficou necessário que a gente entregasse resiliência, latência. A gente precisa estar localizado perto dos nossos clientes. Então se faz necessário investimento contínuo nos nossos datacenters e nossas estruturas. Temos novos requerimentos dos clientes, além de regulamentações e preocupações com a residência de dados, não apenas para área de governo como para a área financeira. Assim, a réplica de dados precisa permanecer dentro do país, isso fez necessária criação de nova região e nova zona de disponibilidade”, explicou a executiva durante apresentação online. 

Segundo a Microsoft, a nova região Azure, 65º no mundo, chamada Brazil Southeast, oferece aos clientes a opção de recuperação de desastres. Segundo o cronograma anunciado, o nuvem Azure está disponível a partir desta terça, enquanto o Microsoft 365 será disponibilizado até o final de 2020. Os planos incluem também a oferta de Dynamics 365 e Power Platform na primeira metade de 2021. A MS indicou já ter 25 mil usuários do Azure no Brasil. A empresa também prometeu lançar novas Zonas de Disponibilidade Azure em 2021 na região já existente, Brazil South, sediada em São Paulo. 


Destaques
Destaques

Multinuvem do Serpro vai concorrer com a do Ministério da Economia

Estruturada a parceria com AWS, Huawei e Azure, da Microsoft, estatal passa a disputar contratos com órgãos públicos, em briga direta com nuvem licitada e gerida pela Secretaria de Governo Digital.

Por que se tornar uma empresa data-driven?

Data-driven ou orientada a dados. É esse o novo lema das companhias que, cada vez mais, estão armazenando e analisando dados em busca de insights de negócios. Mas o que as empresas devem fazer para abraçarem os dados de forma a promover benefícios estruturais e longevos? A resposta não é simples.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Serviços SaaS, proteção de dados e a LGPD

Por Eder Miranda*

Ter um plano abrangente de proteção adicional de dados para as plataformas SaaS é vital para os negócios, uma vez que as empresas não podem abrir sem ter o controle sobre o que está sendo protegido e sobre a maneira como isso está sendo feito pelos fornecedores de software como serviço.

Cloud é bom, mas quem gerencia?

Edmilson Santana*

Se a nuvem soluciona problemas de um lado, de outro sua operação demanda a formação de um time capaz de traduzir demandas de negócio em continuidade operacional, e isso de forma ágil, produtiva e consistente.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site