Clicky

GESTÃO

Diretor da ANPD defende tratamento diferenciado às PMEs

Luís Osvaldo Grossmann ... 19/10/2020 ... Convergência Digital

Em que pese a necessidade de que todos cumpram os preceitos da Lei Geral de Proteção de Dados, há espaço, previsto na própria legislação, para que seja criado tratamento diferenciado para empresas de pequeno porte. E como destacou Joacil Rael durante a sabatina nesta segunda, 19/10, para um dos cinco postos do conselho diretor da Autoridade Nacional de Proteção de Dados, esse é um dos pontos que exige regulamentação. 

“O zelo com o trato do dado não depende do tamanho da empresa; é em toda empresa, grande ou pequena. Então, esse zelo tem que existir, a lei tem que ser cumprida. Entretanto, não dá para onerar as pequenas empresas, uma padaria, um mercadinho da esquina, dizendo: ‘Você tem que ter um encarregado dos seus dados, porque a lei manda’. A lei realmente deixa em aberto para essa Autoridade Nacional deliberar sobre o caso”, destacou. 

Atual encarregado de dados da Telebras, Rael ressaltou que entre as tarefas da ANPD está a garantia segurança jurídica para o uso legal de dados pessoais. “Creio não haver dúvida sobre a necessidade da lei. Entretanto, como acontece com outras leis, a lei depende de regulamentações. Assim, o trabalho desse conselho proposto é fundamental para regulamentar as atividades referentes à proteção dos dados pessoais. Certamente será um grande trabalho inicial, visando proporcionar segurança jurídica à sociedade.”

“A Lei Geral de Proteção de Dados não veio para inviabilizar o tratamento do dado. O tratamento vai continuar existindo, vai precisar, vai continuar existindo em todo lugar, o mundo não vai parar, mas ele tem que ser tratado com o devido zelo”, emendou. 

Tenente coronel reformado, Joacil Rael é formado em Engenharia de Computação pelo Instituto Militar de Engenharia, tem mestrado em Sistemas da Computação pelo mesmo IME e doutorado em Ciências da Computação pela Universidade de Brasília. Como apontou na sabatina, tem carreira intimamente ligada à criptografia, inclusive com o desenvolvimento de um sistema criptográfico que doou ao Exército. Ao tratar do tema, lembrou que proteção de dados vai além de atribuições típicas da tecnologia da informação.

“Grande parte da proteção dos dados pessoais depende de ações gerenciais, administrativas e procedimentais, e não necessariamente tem que vir com o lado da TI. A gente não pode achar que a TI vai resolver tudo. Eu sou da área de TI, a minha área é segurança, criptografia, mas o tratamento comum do dado por toda parte. Muita coisa não depende disso, depende é da área administrativa e gerencial. A proteção de dados é muito mais ampla e os recursos de TI não resolvem tudo.”


Com ajuda da IA, Vivo quer recondicionar 1,5 milhão de modems e decodificadores até dezembro

A Vivo recolhe e recupera mais de 100 mil destes equipamentos por mês, que passam por atualização de software, reparos técnicos e estéticos.

Governo indica que vai pagar aluguel para quem comprar sala limpa do Ceitec

MCTI também sugere corte nos recursos para a Organização Social que vai ficar com a propriedade intelectual da estatal liquidada, R$ 30 milhões por ano estimados inicialmente já caíram para R$ 20 milhões.

Governo projeta substituir 53 mil servidores por robôs em 2030

Em 2040, mais de 68 mil servidores aptos a se aposentar poderão ser substituídos pela automação. Em 2050, poderão ser mais de 90 mil, segundo pesquisa feita pela Enap.

ABNT cria nova norma para combate às fraudes, pirataria e lavagem de dinheiro

Associação Brasileira de Normas Técnicas fará o lançamento no dia 07 de junho. Entidade também promove cursos de capacitação em compliance.




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G