Clicky

Convergência Digital - Home

Carrier elege AWS e une nuvem, IoT e coleta de dados

Convergência Digital
Convergência Digital - 14/10/2020

A Amazon Web Services(AWS), uma empresa da Amazon.com, e a Carrier Global Corporation, fornecedora global de soluções saudáveis, seguras e sustentáveis de refrigeração para estruturas e cadeia de frio, anunciaram nesta quarta-feira, 14/10, um acordo de vários anos para co-desenvolver uma nova plataforma digital, batizada de LynxTM, da Carrier.

O conjunto de ferramentas fornecerá aos clientes da companhia em todo o mundo maior visibilidade, conectividade aumentada e inteligência em suas operações de cadeia de frio para melhorar os resultados em operações para cargas sensíveis à temperatura, incluindo alimentos, medicamentos e vacinas. A colaboração é uma expansão do anúncio recente, em fevereiro, de que a AWS foi escolhida pela Carrier como sua provedora de serviços em nuvem preferida.

A plataforma Lynx combinará os serviços de IoT (internet das coisas), analytics e machine learning da AWS com as soluções de refrigeração e monitoramento da Carrier, ampliando as atuais ofertas digitais da companhia para gerenciar o transporte controlado por temperatura e o armazenamento de perecíveis. Clientes usando a plataforma Lynx se beneficiarão do rastreamento de ponta a ponta, alertas em tempo real, processos automatizados e análises preditivas para ajudá-los a entregar cargas controladas por temperatura de forma mais eficiente, diminuindo o custo das operações da cadeia de frio, otimizando a utilização de recursos e reduzindo perda e a avaria de produtos.

Aproveitando os serviços de IoT da AWS para coletar, integrar, organizar e analisar dados da grande base de equipamentos de refrigeração e soluções de monitoramento da Carrier, juntamente com fontes como relatórios de tráfego e clima, a plataforma Lynx fornecerá uma visão abrangente da localização da carga, condições de temperatura e eventos externos que possam afetar as operações de cadeia de frio.

Essas informações alimentarão um data lake construído no Amazon Simple Storage Service (Amazon S3), onde a Carrier pode usar serviços de machine learning AWS para identificar possíveis problemas que possam impactar a carga, bem como executar análises sofisticadas para desenvolver recomendações para melhorar os resultados.

Por exemplo, analisando dados do histórico e dados em tempo real de desempenho dos equipamentos da Carrier conectados à nuvem, a plataforma Lynx poderá sugerir manutenção proativa para maximizar a disponibilidade de um equipamento específico. Olhando para o futuro, a Carrier e a AWS planejam introduzir um recurso para a plataforma Lynx com o intuito de fornecer recomendações relacionadas ao roteamento de carga e a melhor utilização da frota, adicionando maior resiliência à cadeia de frio que ajudará os clientes da Carrier a gerenciar custos, horários e recursos.

 


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

Icatu Seguros: mudar atendimento ao cliente para a nuvem foi decisão irreversível

Seguradora contratou a CXone, da NICE, para migrar, em tempo recorde, os seus funcionários para o trabalho remoto. "Tínhamos de não perder a qualidade e a eficiência e adaptar o serviço ao dia a dia das casas dos colaboradores", conta o diretor de Marketing e canais, Rafael Caetano.

Diversidade e Ciência de Dados: um desafio ao Brasil

Mais mulheres precisam ocupar carreiras em Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática pelo bem do País, incentiva a embaixadora da Women in Data Science da USP (WiDS @USP), Renata Sousa.

Destaques
Destaques

Palo Alto: É um erro enorme repetir o passado e não tornar a nuvem aberta de verdade

"A nuvem tem de ser aberta, multicloud e não ter complexidade para os sistemas se falarem. Fizemos isso lá trás e foi um prejuízo. Não podemos errar porque nuvem é crucial no 5G", adverte Marcos Oliveira, diretor geral da Palo Alto Networks no Brasil. A empresa aposta suas fichas no 5G e num novo desenho para o mercado de segurança de redes.

Nuvem exige plano A, plano B e erra quem não faz recuperação de desastre

A nuvem não é proteção por si só e exige muito planejamento das empresas, afirmam especialistas de segurança da informação. Para o CISO da RNP, Emilio Nakamura, contingência e resiliência são obrigações. "Ser rápido num incidente é o relevante porque não existem sistemas 100% seguros".



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem pública?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site