Home - Convergência Digital

Certificação é critério de seleção para encarregado de dados

Luís Osvaldo Grossmann e Ana Paula Lobo - 14/10/2020

Entre as medidas que qualquer empresa deve tomar para se adequar à Lei Geral de Proteção de Dados (13.709/18), a escolha do encarregado de dados, ou DPO no anglicismo que já é jargão [de Data Protection Officer] está certamente no topo da lista. E embora a lei não exija competências específicas para esse novo profissional, na prática o mercado prefere aqueles com certificação. 

“Não existe essa obrigação, mas já existem no mercado certificações, inclusive internacionais, algo que eu recomendo. Se uma pessoa quer enveredar por esse caminho é importante que ela se especialize, que conheça a legislação, que conheça as ISOs de segurança, que esteja antenada nas decisões, entenda a fundo conceitos, as discussões envolvidas. Não basta ter um conhecimento raso”, aponta a gerente jurídica escritório Martinelli Advogados, Mariana Blanes. 

Ao debater o tema durante o CDemPauta sobre a aplicação da LGPD, realizado nesta quarta-feira, 14/10, a especialista lembrou que a lei deixou em aberto o perfil do encarregado de dados, inclusive a forma de contratação.

“Pode ser uma pessoa física ou pessoa jurídica, pode ser um funcionário ou pode ser terceirizado. Ele é o canal de comunicação entre o controlador, entre o titular do dado e entre a Autoridade Nacional. Então precisa ser alguém que tenha bom transito entre as áreas e que conheça a operação da empresa. A LGPD não traz nenhuma habilidade especial ou qualificação técnica necessária, nem limitação à forma de contratação ou tipo de vínculo. Na União Europeia, a recomendação é que não seja alguém com contrato de curto prazo, mas com contrato de dois a cinco anos, que só pode ser desligado com autorização da autoridade nacional. O objetivo disso é que o DPO possa exercer as atividades sem pressão ou influência.”

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

22/06/2021
Para Justiça de São Paulo, vazamento de nome, CPF, endereço, telefone e e-mail não causa dano

17/06/2021
ANPD fará três audiências para discutir regras para relatório de impacto

14/06/2021
ABFintechs promove curso sobre a Lei Geral de Proteção de Dados

10/06/2021
Dell: proteção de dados exige pilares na segurança cibernética

10/06/2021
Every: Estamos indo para a UTI com relação à LGPD

10/06/2021
Com 3 mil sistemas de governo, Serpro já formou 70 DPOs locais e busca mais

10/06/2021
Pedidos de informações pela LGPD avançam e gestão teme engessamento de serviços

10/06/2021
ANPD promete regras da LGPD para PMEs em até três semanas

04/06/2021
Every Cybersecurity usa paixão pelo futebol para levar LGPD às empresas no Rio de Janeiro

02/06/2021
ANPD e Cade firmam acordo para ações antitruste e proteção de dados

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Redes Neurais darão bons programadores?

Por Francisco Camargo*

A pergunta que fica não é se a inteligência artificial vai substituir os programadores, mas quando isso acontecerá.Esse desenvolvimento terá profundo impacto na educação das crianças e no futuro dos seus empregos.

Destaques
Destaques

Contratações em TIC cresceram 300% no 1ºtri e ainda assim foram insuficientes

Entre janeiro e março foram abertas 52.743 novas vagas, frente as 59.193 criadas ao longo do ano passado, segundo a Brasscom.

TRT-2 valida demissão feita pelo WhatsApp

A 18ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região confirmou a demissão de uma educadora de ensino infantil justificando que a OTT se 'tornou um grande aliado, especialmente em 2020, como ferramenta de comunicação como qualquer outra'.

DPOs e analistas de compliance LGPD estão em alta no mercado de trabalho

Dezoito profissões do futuro do trabalho começam a ganhar corpo no Brasil, conforme a consultoria Robert Half.BI e CRM estão também em alta.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site