Clicky

INOVAÇÃO

Bradesco vai pagar R$ 23,8 milhões ao CADE por bloqueio a fintechs em aplicativo

Convergência Digital* ... 07/10/2020 ... Convergência Digital

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) firmou acordo, nesta quarta-feira (07/10), com o Bradesco em investigação de supostas práticas anticompetitivas contra o GuiaBolso. O Tribunal homologou Termo de Compromisso de Cessação (TCC) por meio do qual o banco se compromete a interromper as condutas investigadas e a pagar aproximadamente R$ 23,8 milhões em contribuição pecuniária.

O acordo foi firmado em processo administrativo que apura suposto abuso de posição dominante e recusa de contratar pelo Bradesco, em desfavor do Guiabolso, o que prejudicaria o exercício de atividade econômica da empresa e, consequentemente, a livre concorrência no mercado de serviços financeiros.

Para o Tribunal do CADE, o acordo proposto pelo Bradesco soluciona os problemas identificados, pois facilita a portabilidade ao GuiaBolso dos dados dos clientes do banco que desejarem e declararem de maneira expressa. Assim, com o acordo, serão criadas possibilidades para melhores serviços, redução de preços e aumento de quantidade a partir do acirramento da rivalidade nesse mercado.

“Na linha do exposto pela SG/Cade, entendo que o presente acordo, ao viabilizar uma solução acordada e imediata, anterior à plena vigência do open banking no Brasil, gerará efeitos potencialmente benéficos e pró-competitivos no mercado de serviços financeiros brasileiro, ao ir ao encontro do planejado pelo regulador para este mercado com a política supracitada, a qual visa, sobretudo, o incremento da concorrência no setor em destaque, em benefício dos consumidores brasileiros”, afirmou o presidente, Alexandre Barreto, em despacho.

A investigação do caso teve início em julho de 2018, a partir de representação da Secretaria de Promoção da Produtividade e Advocacia da Concorrência (Seprac), do então Ministério da Fazenda, atual Ministério da Economia. A Seprac apontou que o GuiaBolso depende das informações controladas pelo Bradesco para oferecer a seus usuários o serviço de auxílio de gestão financeira. Além disso, ao viabilizar a oferta de crédito por diversas instituições financeiras em sua plataforma, o GuiaBolso disponibiliza serviços complementares que concorrem com parte dos serviços oferecidos pelo banco.

O CADE apurou, durante a investigação, que os usuários do GuiaBolso que são clientes de outras instituições financeiras autorizam o acesso a suas informações bancárias inserindo as respectivas senhas no aplicativo. Os clientes do Bradesco, por sua vez, não conseguiam inserir diretamente seus dados na plataforma porque o banco instituiu uma senha randômica adicional para o acesso a suas contas-correntes. Para a Superintendência, havia evidências de infração à ordem econômica, tendo em vista que a prática do Bradesco restringiria a oferta de serviços por fintechs que dependam de dados bancários de seus usuários, em prejuízo à livre iniciativa e à livre concorrência.

* Com informações do Cade


Cloud Computing
Tomada de decisão de compras ainda é feita com análise manual de dados

Pesquisa mostra que medida é usada por 49% dos gestores ouvidos em 21 países, inclusive no Brasil. Quase 80% dos entrevistados admitiram ainda não terem uma visão clara, automática e em tempo real das despesas em geral.

No Brasil, 75% confiam mais em robôs que em humanos em questões financeiras

Estudo  indica que os brasileiros confiam mais na inteligência artificial do que neles mesmos para cuidar de dinheiro. 

Lei de Informática: governo faz ajustes que facilitam incentivos à pesquisa

Decreto recupera contabilização de dispêndios até março do ano seguinte e permite regime distinto, trimestral ou anual, por diferentes unidades do mesmo grupo. 

Câmara aprova marco legal das startups

Entre as inovações, empresas iniciantes poderão ser beneficiadas por regras diferenciadas de agências regulatórias como a Anatel. Texto vai ao Senado.

Ericsson processa Samsung por patentes em briga de até R$ 900 milhões

Impacto faz parte da projeção da fabricante sueca no lucro com royaltes que pode deixar de receber no trimestre.  Essa não é a primeira batalha entre as empresas. Em 2012, a Samsung pagou US$ 650 milhões à Ericsson.

Huawei: setor elétrico tem de priorizar cibersegurança para evitar apagões

Flávio Hott, gerente de produto para Energia da fabricante, disse ainda que smart grids em 4G, e depois no 5G, são investimentos efetivos para melhorar o desempenho operacional das redes.



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G