Clicky

MPF processa Anatel e Algar por qualidade de celular no Triângulo Mineiro

Convergência Digital ... 02/10/2020 ... Convergência Digital

O Ministério Público Federal em Minas Gerais ingressou com ação civil pública contra a Algar e a Anatel com alegação que a qualidade do serviço móvel é deficitária nos municípios de Araguari, Araporã, Indianópolis, Monte Alegre de Minas, Nova Ponte, Tupaciguara e Uberlândia, no Triângulo Mineiro.

Para tanto, aponta que “a prestação do serviço com indicadores de acesso das redes de voz e dados abaixo de 85% e indicadores de queda das redes de voz e dados acima de 5%, na média de resultados trimestrais, demonstra objetivamente que o serviço ofertado e contratado não foi ou não está sendo entregue ao usuário, no município onde vive, na sua inteireza e não esteve acessível quando deveria estar”. 

Assim, a ação pede que a Justiça Federal condene a operadora “à reparação dos danos materiais sofridos pelos consumidores que, nos últimos cinco anos, contrataram seus serviços e os receberam de forma deficiente, por meio da restituição de quantia correspondente a 5% do valor cobrado pela prestação do serviço, multiplicado pelo número de meses formadores dos trimestres em que foram ou vierem a ser constatados indicadores críticos de qualidade, considerando-se cada indicador de forma individual, com o devido acréscimo de juros e correção monetária”. 

Relata, ainda, o MPF, que “a Anatel também é ré na ação, em razão da sua conduta omissiva ou insuficiente no cumprimento da legislação e na fiscalização dos serviços prestados pelas operadoras do Grupo Algar”. Nesse sentido, pleiteia na ação que “também deve ser observada a necessidade de que, reconhecido o ilícito cometido pela operadora de telefonia, a Anatel, mediante procedimento administrativo formal, promova as medidas de regulação e controle demandadas para que ocorra a restituição cabível”. 

Adicionalmente, a ação quer o pagamento de R$ 70 mil – R$ 10 mil por município apontado com qualidade deficiente – a título de danos morais coletivos, a serem revertidos ao Fundo de Defesa dos Direitos Difusos, por parte da Algar. E ainda, outros R$ 5 mil, igualmente por danos morais coletivos, a serem pagos pela agência reguladora. 


Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi

As faixas de 2,4 GHz e de 5 GHz estão congestionadas no Brasil e torna-se urgente ter mais frequência por mais capacidade e eficiência, afirma o chefe de Tecnologia da CommScope para Caribe e América Latina, Hugo Ramos.

Veja mais matérias deste especial

Minicom prorroga consulta sobre mudanças na Lei da TV paga

Prazo para contribuições, que terminaria em 25/6, foi esticado até 4 de julho. Sugestões vão subsidiar grupo de trabalho que estuda proposta de alteração nas regras da TV por assinatura.

À espera da venda para TIM, Claro e Vivo, Oi Móvel emite R$ 2 bilhões em debêntures

Em fato relevante, a operadora informou que as debêntures serão subscritas e integralizadas por fundo de investimento gerido por subsidiária do Banco BTG Pactual S.A. Operação segue em análise no CADE e na Anatel.

Red Hat: para ser cloud nativa, uma tele precisa mais do que transformação digital, precisa de nova cultura

Mudar a mentalidade é essencial para que uma operadora de telecomunicações transforme seus negócios e suas redes, afirma Livio Tulio Silva, da Red Hat.

Cade aprova venda do controle da empresa de fibra da TIM para IHS

Operadora vai receber R$ 1 bilhão e pretende usar o dinheiro para pagar a fatia com a qual vai ficar a partir da compra da Oi Móvel.




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G