NEGÓCIOS

Quem tem medo das incertezas está fora do mundo dos negócios

Por Roberta Prescott* ... 29/09/2020 ... Convergência Digital

Existem empresas à prova das incertezas? A indagação foi feita a Marcelo Braga, vice-presidente da IBM, Edson Rigonatti, investidor, empreendedor e sócio da Astella Investimentos; e Alexandre Fialho, professor da escola de negócios Saint Paul e coordenador do programa de alto impacto Seer, durante debate realizado no Abes Software Conference 2020, nesta terça-feira, 29/09.

"Quem tem medo de incerteza não pode estar no mundo corporativo", sentenciou Alexandre Fialho, para quem as mudanças ocorridas durante o período da pandemia foram potencializadas. "A pandemia foi um catalisador, não um elemento individualmente transformador da realidade", adicionou Fialho. Para Marcelo Braga, da IBM, o cenário exige que empresas se adaptem às incertezas e para isto precisam que a cultura da companhia seja aberta, flexível e disposta a mudar; necessitam de processos que entendam que o consumidor mudou; de pessoas que estejam sempre buscando atualização e dispostas a aprenderem sempre e da tecnologia.

Já Edson Rigonatti disse que seu papel tem sido o de criar incertezas. "Há uma briga de tecnologia para ver quem chega lá primeiro: o empreendedor com a tecnologia nova ou o incumbente tradicional", disse. Os executivos foram taxativos: o planejamento estratégico da forma tradicional não cabe mais à realidade atual. "Não diria que é fim do plano estratégico, mas o planejamento estratégico virou mais uma iniciativa flexível do ponto de vida da estratégia e mais rígido em orçamento. É para ser mais guidance e menos de cartilha a ser seguida", assinalou Fialho. "Empresas que são ágeis e líquidas gerem melhor o risco. O planejamento segue sendo importante, porque é importante sonhar, mas estamos sonhando cada vez mais longe e mais rápido", acrescentou Rigonatti.

Com relação ao papel da liderança, Rigonatti ressaltou que os líderes que se destacam são ótimos contadores de histórias e pessoas que conheçam de produtos, de marketing e vendas, além de serem bons em arrumar recursos financeiros. "E tudo isto é storytelling. Pessoas incríveis de contar histórias", resumiu. Para Braga, a persona do líder atual é antagônica a do comando e controle, com perfil que engaja e empodera os colaboradores, delegando a tomada de decisão.

Já Fialho, da Saint Paul, foi mais além, explorando o que chamou de atributos da brasilidade. "O modelo brasileiro é do líder que tem pluralidade e miscigenação, tem a perspectiva de mundo ampliada. O brasileiro prefere a harmonia à vitória, sem o fetiche da perfeição, mas do bem viver, prefere ser feliz a ser produtivo; e a passionalidade está fazendo da liderança brasileira um destaque no mundo contemporâneo", completou.


Cloud Computing
AWS: Nuvem responde às exigências da LGPD

“A LPGD foi criada até pela expansão do uso dos dados, porque temos que nos preocupar muito quem acessa, como ele está armazenado, como está criptografado”, afirma Jorge Ruas, da AWS. 

Desafio nacional: identificar os dados efetivamente valiosos ao negócio

Pesquisa da IDC mostra que quase a metade companhias pesquisadas no Brasil admitiu ter dificuldade para encontrar talentos e recursos responsáveis pelas análises das informações.

Fintechs mostram sua força no cadastramento para o PIX

Banco Central revela que Nubank, Mercado Pago e PagSeguro foram as instituições com mais cadastros de chaves de identificação para o uso do pagamento instantâneo, a partir de 16 de novembro. Em nove dias, o Banco Central contabiliza 33,7 milhões de cadastramentos.

STJ: Uso de criptomoedas para lavar dinheiro é crime de competência estadual

Criptomoedas não são caracterizadas pelo Banco Central como moeda tampouco são consideradas valor mobiliário pela Comissão de Valores Mobiliários, portanto, o ministro Felix Fischer, do STJ, entendeu que não cabe à justiça federal julgar crimes envolvendo o ativo.

ABES: desoneração da folha é vital para manter empregos em software e serviços

O Brasil cresceu 10,5% em TI em 2019, e deverá, apesar da Covid-19 e da crise econômica, registrar um crescimento de 4% em 2020, afirmou o vice-presidente do Conselho Deliberativo da Associação Brasileira das Empresas de Software, Jorge Sukarie.

Transformação digital é mudar a mentalidade de produto para solução ao cliente

"Não precisamos da furadeira, mas, sim, do buraco na parede", exemplificou Thales Teixeira, fundador da decouping.co, ao revelar o impacto da jornada digital. Para Teixeira, a inovação está no modelo de negócios. "A tecnologia é só um motor", pontuou.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G