Clicky

Home - Convergência Digital

Economia prefere, mas não garante, leilão 5G não arrecadatório

Luís Osvaldo Grossmann - 22/09/2020

Se depender dos convidados do Painel Telebrasil 2020, especialmente os representantes do governo, todos os desejos do setor de telecomunicações vão virar realidade, mesmo o mais improvável de todos: um leilão não arrecadatório para o 5G. Ao tratar do tema nos debates desta terça, 22/9, até o representante do Ministério da Economia açucarou a ideia ao falar para os representanes do mercado. 

“Tradicionalmente no Brasil se desenhou modelos de concessão, leilões, editais, autorizações, licenciamento para usar como regime de arrecadação. Nós acreditamos que isso não é uma boa coisa. Pode parecer melhor no curto prazo, mas no médio e no longo prazo acaba tolhendo o desenvolvimento do mercado, e consequentemente é ruim até para arrecadação. Então, o compromisso do Ministério da Economia é estudar as possibilidade de termos um leilão não arrecadatório”, afirmou o secretário de Advocacia da Concorrência e Competitividade da pasta, Geanluca Lorenzon. 

Pelos valores envolvidos, talvez o único registro de leilão não arrecadatório no setor de telecomunicações brasileiro tenha sido a privatização do sistema Telebrás, lá em 1998. A adoção dessa raridade no leilão previsto para 2021 foi defendida em todos os painéis de discussões desta terça, especialmente pelo Ministério das Comunicações e pela Anatel. E apesar da mensagem otimista, o próprio secretário Lorenzon tratou de retificar. 

“É importante que o leilão aloque de melhor maneira possível a radiofrequência e ao mesmo tempo possa viabilizar os investimentos privados, e por uma orientação de mercado para serem saudáveis, não direcionados artificialmente, não são uma espécie de subsídio cruzado. Têm instrumentos para tratar das áreas com falhas de mercado. Essa é a preferencia da Seae [Secretaria de Acompanhamento Econômico]. Mas obviamente que o desenho final vai depender dos detalhes. E o diabo mora nos detalhes.”

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

24/02/2021
WEG testa planta piloto com 5G privado standalone da Nokia

24/02/2021
ANPD: Quem coletar dados no 5G será responsável pelo dano ao usuário

24/02/2021
Para Defesa, Brasil deveria adotar regra para diversificar fornecedores no 5G

23/02/2021
Vivo anuncia negociação avançada com sócio internacional por rede ótica neutra

23/02/2021
Missão crítica vai fazer a diferença no jogo global do 5G

22/02/2021
Baigorri: Venda da Oi Móvel não condiciona data do leilão 5G

22/02/2021
5G: Teles desconfiam de custo e da operação das redes de governo

22/02/2021
Baigorri: Esperar demanda para exigir 5G pleno é o oposto de política pública

22/02/2021
Minicom: Obrigações do 5G vão caber no preço das frequências

18/02/2021
EUA querem usar mais o Linux no 5G

Destaques
Destaques

5G será muito mais B2B e vai injetar R$ 13,5 bilhões no mercado nos próximos dois anos

Finalmente o 5G entrou na lista das dez previsões para os mercados de Tecnologia e Informação e Telecomunicações da IDC para 2021/2022. Consultoria prevê que a receita virá de novos negócios com IA, IoT, cloud, segurança, robótica e realidade aumentada e virtual.

5G só começa depois de garantia de recepção nas parabólicas

Pelo cronograma previsto na proposta de edital, oferta do 5G tem início 300 dias depois de formalizada a ‘compra’ das frequências – portanto no segundo semestre de 2022.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Previsões para 5G Core (5GC) e redes móveis em 2021

Por Ivan Marzariolli*

A maioria das teles com 5G escolheu o que é chamado de implementação “não autônoma”.  É um híbrido de 4G e 5G que permite oferecer muitos recursos 5G aos assinantes, enquanto ainda aproveita o investimento existente em seu core de pacote 4G. Operadoras estão ansiosas para aproveitar as vantagens do 5GC (SA ou autônomo) - maior agilidade de serviço e custos mais baixos.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site