Clicky

Bolsonaro assina Decreto que regulamenta a Lei das Antenas

Luís Osvaldo Grossmann ... 01/09/2020 ... Convergência Digital

Esperado desde que a Lei das Antenas foi sancionada, ainda em 2015, foi assinado nesta terça, 1º/9, o Decreto que regulamenta aquela Lei 13.116. A promessa é facilitar a instalação de infraestrutura de telecomunicações, especialmente das antenas de celular, frente ao esperado crescimento das redes com a chegada do 5G. 

“Esse Decreto que foi assinado hoje, que regulamenta a Lei das Antenas, é um divisor de águas. No ano que vem teremos o leilão do 5G e sem esse Decreto não seria possível, porque vamos precisar de 10 vezes mais a quantidade de antenas com o 5G. Tenho certeza que é uma grande entrega do governo para o setor de telecomunicações”, festejou o ministro das Comunicações, Fábio Faria, durante a solenidade no Palácio do Planalto. 

A promessa é que o esperado Decreto trata da instalação de redes de telecomunicações como parte de qualquer obra pública (dig once, no jargão em inglês), reforce a gratuidade do direito de passagem (apesar do questionamento no STF), e recupere o chamado ‘silêncio positivo’, ou seja, o licenciamento automático caso os municípios não o concedam em 60 dias (embora a redação tente não melindrar as prefeituras). Também são conceituadas as antenas de pequeno porte, com dispensa de licenciamento, o que facilita muito para as small cells, relevantes para a cobertura indoor no 4G e no 5G.

Mesmo sem 5G, contas do próprio Ministério das Comunicações indicam que existem mais de 4 mil pedidos para instalação de antenas aguardando licenças municipais pelo país, especialmente nas grandes cidades. A projeção é que a liberação dessas infraestruturas resulte em investimentos de R$ 3 bilhões.  Adicionalmente, na mesma solenidade Faria assinou uma portaria que trata de ‘debêntures incentivadas’, que segundo o Minicom “simplifica regras e vai incentivar o investimento em redes de telecomunicações por meio de desconto no imposto de renda”. 

Como resumiu o secretário de Telecomunicações, Vitor Menezes, “o Decreto traz uma questão importante no que diz respeito à construção de infraestrutura de telecomunicações conjuntamente com as obras públicas. Hoje não tem obrigação de construir fibra junto com uma rodovia, por exemplo. A partir desse Decreto, essas obras serão feitas juntas. Além disso, tem a portaria de debêntures incentivados, que através da isenção de imposto de renda estimula investimentos em telecomunicações”. 

Operadoras: expectativa pela redação do Decreto

Em nota, o SindiTelebrasil comemorou a edição do decreto presidencial. "Nós do setor de telecom recebemos com entusiasmo o anúncio feito hoje pelo governo federal sobre a edição de decreto presidencial regulamentando a Lei Geral de Antenas, o que vai estimular a implantação de infraestrutura de telecom no país. Caso nossas expectativas se confirmem, será um grande passo para se promover a conectividade, tão essencial para a população brasileira. Parabenizamos o governo federal e a equipe do Ministério das Comunicações, conduzida pelo Ministro Fabio Faria, por mais um avanço", afirmou o presidente executivo do SindiTelebrasil, Marcos Ferrari.

Para Ferrari, entre os pontos aguardados pelo setor de telecom estão a dispensa de licenciamento para antenas de pequeno porte, como as mini-ERBs de 4G e 5G, o reforço da gratuidade do direito de passagem de infraestrutura de telecomunicações em bens de uso comum do povo, e o silêncio positivo, que implica em aprovação tácita da licença para instalação de antenas no caso de vencido o prazo de 60 dias desde a apresentação do pedido, sem a manifestação do município.


Internet Móvel 3G 4G
Open RAN Brasil: certificação deve ser global e não pela Anatel

Recém-criada, a associação, que reúne nove empresas, entre elas, a Qualcomm do Brasil, se mobiliza para viabilizar uma transição para o Open RAN mais rápida, conta o VP da Qualcomm Brasil, Francisco Soares.

Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi

As faixas de 2,4 GHz e de 5 GHz estão congestionadas no Brasil e torna-se urgente ter mais frequência por mais capacidade e eficiência, afirma o chefe de Tecnologia da CommScope para Caribe e América Latina, Hugo Ramos.

Veja mais matérias deste especial

Red Hat: para ser cloud nativa, uma tele precisa mais do que transformação digital, precisa de nova cultura

Mudar a mentalidade é essencial para que uma operadora de telecomunicações transforme seus negócios e suas redes, afirma Livio Tulio Silva, da Red Hat.

Cade aprova venda do controle da empresa de fibra da TIM para IHS

Operadora vai receber R$ 1 bilhão e pretende usar o dinheiro para pagar a fatia com a qual vai ficar a partir da compra da Oi Móvel.

TIM emite R$ 1,6 bilhão em debêntures vinculadas à ESG

Operação é a primeira realizada por uma empresa de telecomunicações no país. Tele diz que todos os recursos arrecadados serão investidos em infraestrutura, em especial, no 5G.

5G e Inteligência Artificial são estratégicos para suportar investimentos no Brasil

Pesquisa global, feita pela SUSE, e que ouviu 100 executivos no Brasil, aponta que oito em cada 10 líderes de TI se sentem bastante pressionados para entregar resultados tangíveis para os negócios.




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G