TIM: consolidação da Oi passa pelo equilíbrio de frequências com Claro e Vivo

Convergência Digital* ... 25/08/2020 ... Convergência Digital

Com uma proposta de R$ 16,5 bilhões pelos ativos móveis da Oi ao lado das concorrentes Claro e Vivo, a TIM acredita que uma eventual repartição da base de clientes e do espectro da adquirida precisa equilibrar a concentração atual de mercado – levando inclusive a "níveis de frequências parecidos" entre as três empresas. "Nos juntamos com dois operadores para avaliar oportunidade de comprar três assets diferentes e a repartição desses assets deve ser inspirada por um critério de máximo respeito com a concentração", afirmou o CEO da TIM, Pietro Labriola, durante live do canal Stock Pickers realizada nesta terça-feira, 25, conforme reportagem feita pelo portal Teletime.

"Se a frequência for dividida como estamos sugerindo, teremos três operadoras com níveis de frequências parecidos e uma competição mais saudável", afirmou o executivo. Hoje, a TIM é a terceira operadora em termos de espectro para exploração, atrás da Claro e da Vivo. Lógica similar foi utilizada para a distribuição de clientes: usando o exemplo de Sergipe, onde a TIM teria apenas 5% do mercado, Labriola argumentou que a repartição permitiria uma economia de escala melhor "que permite alavancar melhor os investimentos" em infraestrutura e mesmo em pontos de venda.
Torres

Já no caso da unidades de torres da Oi, a TIM sinalizou não haver interesse na compra do ativo (que tem proposta vinculante e "stalking horse" de R$ 1,066 bilhão feita pela Highline), mas pontuou que a há negociação "entrando no contrato para aluguel das torres". "Isso vai ajudar muito a não ter que desenvolver uma grande quantidade de torres nos próximos anos, lembrando a dificuldade no País de colocar novas torres. Em São Paulo, ninguém consegue instalar há três anos", pontuou o diretor financeiro da TIM, Adrian Calaza.

Fonte: portal Teletime


Feninfra diz que sem desoneração da folha país perde R$ 2 bilhões e 500 mil empregos em Telecom

Segundo a presidente da entidade, Vivien Suruagy, caso o Congresso não derrube o veto de Bolsonaro à medida, haverá um "apagão de tecnologia" no país.

STJ confirma condenação da Telefônica por falta de cartões telefônicos

Multa estipulada foi de R$ 3 milhões, por conta da não venda de cartões indutivos de 20 unidades. Condenação da operadora foi mantida pela 1ª Turma do Superior Tribunal de Justiça.

Oi entra na disputa do mercado de marketplaces para consolidar marca de consumo

Plataforma OiPlace chega ao mercado com mais de 3 mil produtos. Tele também incluiu canal ao vivo no Oi Play, a partir da mudança da regra de conteúdo na Internet pela Anatel.

Em três meses, Anatel e PF apreendem mais equipamentos irregulares que em todo 2019

Somente entre julho e setembro deste 2020 foram 243,7 mil equipamentos sem certificação, entre baterias, carregadores, TV boxes, smartwatches e conversores digitais com Wi-Fi.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G