INOVAÇÃO

Startups consideram PL das Fake News 'extremamente danoso' à inovação

Convergência Digital ... 13/08/2020 ... Convergência Digital

O projeto de lei 2630/20, mais conhecido como PL das Fake News, traz uma série de ameaças ao ambiente inovador e pode isolar o Brasil, segundo reclamam em carta pública startups reunidas no grupo Dínamo, entidade de articulação de políticas para empresas inovadoras. 

“O PL das FakeNews, da forma que está, é extremamente danoso ao ecossistema de startups brasileiro”, diz a entidade na carta. “As definições adotadas pelo PL são extremamente amplas e podem acabar regulando modelos de negócios que não estavam no escopo inicial da lei. Isso porque, a definição de rede social adotada é abrangente e abre margem para interpretações que podem enquadrar outros modelos de negócios, como marketplaces, fintechs, software as a service (Saas) como redes sociais.” 

As startups alertam para especificações do projeto, a começar pelo alcance da proposta, de redes sociais e aplicativos de mensagem com mais de 2 milhões de usuários no país. “Dois milhões de usuários é um número relativamente pequeno ao pensarmos em um país continental como o Brasil. Sendo assim, startups teriam que começar o seu negócio tendo que, no mínimo, prever e se preparar para cumprir obrigações onerosas, e que podem reduzir a atração de investimentos e sua competitividade em relação a incumbentes.”

Como apontam, : o dispositivo proposto no PL , um desincentivo para startups criarem inovações para envio de mensagens e redes sociais , um mercado longe de já estar estabelecido – basta vermos o crescimento do aplicativo TikTok neste último ano”. 

Além disso, as startups apontam outra “restrição implícita à inovação”. “Define-se um formato em que todas as plataformas de mensageria privada e redes sociais devem seguir – não é uma lei principiológica, e sim uma lei que trata detalhadamente de aspectos técnicos, usabilidade e processos das plataformas. Com isso, a lei corre o risco de caducar rapidamente, tendo dificuldade em acompanhar futuras inovações”. 

Para as startups, “a atual redação do art. 9o, que busca regular de forma categórica aspectos extremamente técnicos de funcionalidades, determinando como as plataformas de mensageria devem projetar suas ferramentas. Isso destrói a imaginação empreendedora em novos serviços, estabelece como "normal" os serviços existentes e, novamente, cria obrigações que só podem ser cumpridas por grandes empresas”. 

E sobre um dos aspectos mais controversos do projeto, as startups alegam que “a coleta excessiva de dados para identificação de usuários cria a necessidade de um aumento nos custos de armazenamento e segurança de dados, que será mais impactante para startups. Além disso, ao obrigar as plataformas a armazenarem mais dados, quem acaba mais exposto a potenciais vazamentos e uso indevido de seus dados é o próprio usuário das plataformas”. 


Cloud Computing
Vivo Empresas investe em serviço de segurança na nuvem para PMEs

Segundo a operadora, se antes da Covid-19, a migração para a cloud já era uma tendência real, agora, usar computação em nuvem se tornou uma ferramenta essencial para a sobrevivência. Serviço é voltado para nuvens públicas ou multicloud.


Fiemg lab e Fiat Chrysler automóveis (FCA) buscam startups de Supply Chain e Manufatura

Competição está com inscrições abertas até o dia 28 de outubro. Oito projetos serão selecionados e terão testes industriais em 2021.

Waze: força das comunidades e dos 50 mil voluntários fazem a diferença

A colaboração é o segredo do sucesso do Waze e estabelecer canal ativo com os clientes é missão, contou a Global Group Manager, Hila Roth.

Inovar é deixar de olhar para o próprio umbigo

Marcelo Salim, da IBM, Percival Jatobá, da Visa e Ana Leão, da Isobar, assumem que o consumidor é quem está selando o destino das marcas e com voz mais ativa.

TOTVS Techfin: Na crise, sobrevivem os mais adaptáveis às mudanças

O momento exige resiliência e perseverança, mas a crise acelerou uma jornada e colocou, de vez, o consumidor como o centro dos negócios, afirmou Eduardo Neubern, diretor-executivo da Totvs Techfin.

Empresas estão comprando tecnologia, mas não fazem a transformação digital

Sem entender o consumidor, a transformação digital simplesmente não vai acontecer, atestaram Sílvio Meira, cientista-chefe na The Digital Strategy Company; Luiz Sergio Vieira, CEO da EY Brasil, e Agenor Leão, vice-presidente de plataformas de negócios da Natura para América Latina.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G