NEGÓCIOS

Meio de pagamento: Stone compra Linx por R$ 6,4 bilhões

Convergência Digital* ... 11/08/2020 ... Convergência Digital

A empresa de meios de pagamento Stone anunciou nesta terça-feira, 11/08, um acordo vinculante para unir a sua área de software com a Linx, por R$ 6,4 bilhões. A fintech vai incorporar a empresa de software de gestão para o varejo com mais de 30 anos, com uma carteira de 70 mil clientes em sua base e 100 mil pontos de venda, que geram anualmente cerca de R$ 300 bilhões de GMV. A Linx é a principal concorrente, hoje, da TOTVS junto às PMEs no Brasil.

As soluções de software da Linx se estendem pelos principais segmentos do varejo, do pequeno ao grande negócio. Somadas às soluções de meios de pagamento e serviços financeiros da Stone, aceleram a estratégia da companhia de digitalização do varejo brasileiro através de uma solução completa para pequenos, médios e grandes varejistas, que poderão contar com mais produtos para gerir seu negócio, engajar clientes, integrar os canais de vendas online e administrar suas finanças.

"A Stone nasceu há oito anos com um propósito muito forte de ajudar empreendedores brasileiros a prosperar por meio da oferta de produtos inovadores e um serviço excepcional, feito por um time extremamente talentoso que sempre coloca os nossos clientes em primeiro lugar, ajudando o empresário brasileiro a transformar seus sonhos em resultados. Estamos muito felizes de juntar esforços com a Linx nessa jornada de transformar o varejo no Brasil", afirma Thiago Piau, CEO da Stone Co.

Uma nova frente de negócio será criada a partir da integração da Linx ao atual portfólio de investimentos em software da Stone, que somente ocorrerá após as devidas aprovações regulatórias. Para aconselhar as definições estratégicas e ajudar na construção dessa futura nova fase das duas companhias, será formado um conselho consultivo liderado por Alberto Menache, atual CEO da Linx. A transação está condicionada à aprovação pelos acionistas das duas companhias e pelos órgãos regulatórios competentes, como SEC e CADE.

A Stone divulgou o balanço do segundo trimestre, mostrando queda de 28% no lucro líquido ante mesmo período de 2019, a 123,6 milhões de reais. O recuo ocorreu apesar do aumento de cerca de 14% na receita, de 667,4 milhões de reais. Segundo a empresa, a queda reflete despesas ligadas à Covid-19, com a demissão de 1.300 funcionários em maio e a montagem de hospital temporário, além de incentivos a clientes.

A base de clientes ativos da Stone somou 519,4 mil no fim de junho, aumento de 48,6% na comparação anual, mas no trimestre houve redução de 11,9 mil. A Stone, porém, afirmou que “números recentes indicam um significativo crescimento da base de clientes no terceiro trimestre”.


Cloud Computing
Presidência da República contrata Serpro para ter Dados como Serviço

Contrato, por dispensa de licitação, foi firmado por R$ 276 mil. Objetivo da presidência da República é usar a estatal para fazer cruzamento de dados de bases da administração.

Desafio nacional: identificar os dados efetivamente valiosos ao negócio

Pesquisa da IDC mostra que quase a metade companhias pesquisadas no Brasil admitiu ter dificuldade para encontrar talentos e recursos responsáveis pelas análises das informações.

Fintechs mostram sua força no cadastramento para o PIX

Banco Central revela que Nubank, Mercado Pago e PagSeguro foram as instituições com mais cadastros de chaves de identificação para o uso do pagamento instantâneo, a partir de 16 de novembro. Em nove dias, o Banco Central contabiliza 33,7 milhões de cadastramentos.

STJ: Uso de criptomoedas para lavar dinheiro é crime de competência estadual

Criptomoedas não são caracterizadas pelo Banco Central como moeda tampouco são consideradas valor mobiliário pela Comissão de Valores Mobiliários, portanto, o ministro Felix Fischer, do STJ, entendeu que não cabe à justiça federal julgar crimes envolvendo o ativo.

ABES: desoneração da folha é vital para manter empregos em software e serviços

O Brasil cresceu 10,5% em TI em 2019, e deverá, apesar da Covid-19 e da crise econômica, registrar um crescimento de 4% em 2020, afirmou o vice-presidente do Conselho Deliberativo da Associação Brasileira das Empresas de Software, Jorge Sukarie.

Transformação digital é mudar a mentalidade de produto para solução ao cliente

"Não precisamos da furadeira, mas, sim, do buraco na parede", exemplificou Thales Teixeira, fundador da decouping.co, ao revelar o impacto da jornada digital. Para Teixeira, a inovação está no modelo de negócios. "A tecnologia é só um motor", pontuou.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G