Home - Convergência Digital

Governo economiza R$ 360 milhões e avança com teletrabalho

Convergência Digital - 30/07/2020

A administração federal fez as contas e decidiu ampliar o regime de teletrabalho no governo. Nesta sexta, 31/7, uma nova instrução normativa do Ministério da Economia vai facilitar a adesão ao regime remoto e permitir que, além dos servidores efetivos, os comissionados, terceirizados e empregados públicos também possam trabalhar à distância. 

“Acompanhamos as experiências mais consolidadas de teletrabalho, inclusive nas empresas privadas. E decidimos repensar as normas. Este novo marco legal para execução do teletrabalho vem com a perspectiva de que ele seja adotado não mais como procedimento de exceção, de forma impositiva, mas como uma opção de cada órgão”, afirmou o secretário especial adjunto de Gestão, Gleisson Rubin, ao apresentar as mudanças nesta quinta, 30/7. 

Segundo explicou, a experiência forçada pela pandemia de Covid-19 ao longo dos últimos quatro meses deixou duas indicações: no geral, não há perda de produtividade, e além disso o trabalho remoto tem impacto direto em despesas de custeio. Por conta da pandemia, 357.767 servidores estão em regime de teletrabalho – o que significa 95% da rede federal de educação e 49% dos órgãos públicos. 

“Hoje nós temos quase 2/3 da força de trabalho do executivo federal atuando de casa. Esse desafio permitiu que nós tirássemos algumas conclusões, algumas bastantes positivas, em particular, a percepção de vários gestores que a produtividade aumentou”, disse Rubin. 

Na ponta do lápis, o Ministério da Economia indica que gastou R$ 270 milhões a menos com diárias e passagens entre abril e junho. E estima que a redução com adicionais de insalubridade irradiação ionizante, periculosidade, serviço extraordinário, noturno e auxílio transporte somou outros R$ 93 milhões. 

Segundo as novas normas de teletrabalho na administração federal, que entram em vigor em 1º de setembro, despesas com internet, energia elétrica, telefone e outras semelhantes são de responsabilidade do participante que optar pela modalidade à distância. Não haverá cômputo de horas extras ou de banco de horas. Também não haverá pagamento de auxílio transporte nem adicional noturno, mas neste último caso pode haver exceções. 

A implantação do programa de gestão é facultativa aos órgãos e entidades da administração federal e deve ocorrer em função da conveniência e do interesse do serviço. Cada órgão definirá, a partir de suas necessidades, que atividades poderão ser desempenhadas a distância. Caberá ao dirigente máximo de cada pasta autorizar a implementação do programa. 

Após a autorização, o órgão lançará um edital com as regras do teletrabalho em cada unidade. Nele constarão informações sobre número de servidores e atividades a serem desempenhadas, se o regime será parcial ou integral e o plano de trabalho com metas e cronograma.

O servidor que aderir ao teletrabalho – em regime parcial ou integral – terá que assinar e cumprir o plano de trabalho. O acompanhamento de cada entrega caberá à chefia imediata que pode, caso as atividades não sejam cumpridas conforme o previsto em edital, desligar o participante do programa. O participante terá responsabilidades e atribuições a cumprir. Entre elas, permanecer disponível para contatos telefônicos, checar regularmente sua caixa de e-mail e comparecer ao órgão sempre que convocado.

* Com informações do ME

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

21/01/2021
Mensagens de WhatsApp fora do expediente não configuram sobreaviso

16/12/2020
TST lança cartilha com explicações jurídicas sobre o teletrabalho

14/12/2020
Governo adota sistema eletrônico para gestão de teletrabalho

04/12/2020
Vagas de emprego remoto disparam 215% na pandemia

30/11/2020
Home office disparou o custo com contas de luz, de água e de Internet

05/11/2020
Apenas 16% dos empregados em teletrabalho tiveram Internet paga pelos patrões

29/10/2020
Home office, com TICs à frente, provoca um salto de 236% nas negociações coletivas de trabalho

28/10/2020
Trabalho remoto agora é oficial na Algar Telecom

22/10/2020
Teletrabalho: incidentes de segurança crescem mais de 25% no Brasil

09/10/2020
Teletrabalho: sem regulamentação, sem direitos, sem deveres, sem regras

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A confiança é ganha com mil atos e perdida com apenas um

Por Luis Banhara*

À medida que o conceito de trabalho se descola dos escritórios, mesmo que parcialmente, surgem novos desafios de segurança. A superfície de ataque foi ampliada.

Destaques
Destaques

Na liderança, curiosidade insana e coragem impactam mais que a competência

Vice-presidente para setor público na AWS, Teresa Carlson, e Indra Nooyi, membro do board da Amazon e ex-CEO e chairman da PepsiCo, admitiram que a Covid-19 tem provocado crises existenciais em muitas pessoas e que, há, sim, um forte e um injusto desequilíbrio para as mulheres.

Média salarial de profissional de TI no Brasil ficou em R$ 4.849,00

Pesquisa nacional, realizada pela Assespro-Paraná e pela UFPR, mostra a desigualdade econômica do país. No Nordeste, em Sergipe, a média salarial é de apenas R$ 1.943.00. Em São Paulo, essa média sobe para R$ 6.061,00. Outro ponto preocupante: a diferença salarial entre homens e mulheres segue acima de dois dígitos.

Certificação é critério de seleção para encarregado de dados

Ainda que a LGPD não exija qualificação específica, o mercado busca profissionais com conhecimento na área. Formação pode custar até R$ 6 mil, observou Mariana Blanes, advogada e sócia do Martinelli Advogados, ao participar do CD em Pauta.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site