Clicky

4G LTE faz Neoenergia avaliar 5G para missão crítica no Brasil

Por Ana Paula Lobo e Pedro Costa ... 17/07/2020 ... Convergência Digital

A transformação digital da Neoenergia no Brasil virou um exemplo para o grupo Iberdrola no mundo. Tanto que o projeto 4G LTE privado, que entrará em pleno funcionamento ainda este mês, quando será iniciada a operação da última das seis torres na região de Atibaia, em São Paulo, está servindo de piloto para todas as distribuidoras do grupo, conta em entrevista ao Convergência Digital, o superintendente de Smart Grids da Neoenergia, Heron Fontana.

O 4G LTE privado não funciona como a principal rede para as atividades da Neoenergia, e sim como backhaul, infraestrutura para agrupar os dados e enviá-los para os escritórios da distribuidora, em Atibaia ou em Campinas. O uso da rede 4G beneficiará inicialmente os 75 mil consumidores da Neoenergia, por meio da distribuidora Elektro, nas cidades de Atibaia, Bom Jesus dos Perdões e Nazaré Paulista. A distribuidora teve autorização da Anatel para fazer o projeto em 3,5GHz.

"O 3,5GHz é bom? ele foi uma oportunidade. Mas o nosso interessante é maior nas faixas subgiga, por conta do serviço de missão crítica", aponta Fontana. O executivo também adianta que vai avaliar como será o leilão do LTE privado no 4G e não descarta a possibilidade de compartilhar sites, acesso, torre e frequência com as operadoras.Sobre o leilão 5G, Fontana diz que vai avaliar, principalmente, se houver o espectro dedicado. "A baixa latência é essencial nos projetos para ter serviços em tempo real".

O executivo fala ainda da possível massificação, enfim, dos medidores inteligentes e argumenta que eles são cruciais. "Nao há veículo elétrico sem medidor inteligente, sem rede de baixa latência", exemplifica Fontana. Também conta o impacto do projeto SISCON, que está mudando o coração da rede da Neoenergia.

"É como trocar o ERP da companhia com ela funcionando e numa pandemia", ressalta. A iniciativa vai envolver o novo Sistema de Controle da empresa, unindo tecnologia e mudança de processos para aprimorar a gestão das redes elétricas de suas concessionárias – Coelba (BA), Celpe (PE), Cosern (RN) e Elektro (SP/MS) –, beneficiando mais de 14 milhões de clientes.  Fontana também fala do uso do WiMAX, em Fernando de Noronha, e da implantação de rede de fibra ótica própria no Recife e no Guarujá. Assistam a entrevista com o superintendente de smart grids da Neoenergia.


Internet Móvel 3G 4G
Leilão 5G: TIM briga por 3,5GHz e 26 GHz e abre mão da faixa de 2,3GHz

Pelas regras do edital, a TIM já não poderia participar do leilão de 700 Mhz, também descartada pelo CEO, Pietro Labriola. Os valores a serem aportados no 5G ainda não estão definidos e não fazem parte dos R$ 4,4 bilhões previstos para 2021. "Ficamos felizes com o 5G de verdade, o 5G standalone", disse o executivo.

Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Anatel aprova uso da faixa de 6GHz para não licenciado e Brasil se abre para Wi-Fi 6E

Agência manteve as condições submetidas à consulta pública, de uso integral da frequência entre 5,925 GHz e 7,125 GHz para aplicações não licenciadas. 

Veja mais matérias deste especial    •    Inscrição gratuita - Clique aqui

Vivo assume que rede neutra fará a diferença no 5G

Batizada de FiBrasil, a rede neutra terá papel central na estratégia nacional, afirmou o CEO da Vivo, Cristian Gebara.

Baigorri: Esperar demanda para exigir 5G pleno é o oposto de política pública

“O desconto no valor da frequência é uma decisão de Estado para financiar o investimento. É usar recurso público para garantir que Macapá, Boa Vista e Rio Branco tenham as mesmas funcionalidades de São Paulo”, afirma o relator do 5G na Anatel, Carlos Baigorri. 

CVM cobra Telebras que anuncia renovação por 10 anos de contrato com Eletrobras

Acordo vale para o uso de fibras óticas e infraestrutura de telecomunicações com a Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A (Eletronorte) e Furnas Centrais Elétricas S/A (Furnas). Estatal teve movimentação atípica de ações.

STF descarta ação da PGR e mantém gratuidade do direito de passagem

Maioria do Plenário acompanhou o entendimento do relator, Gilmar Mendes, de que um ordenamento unificado nacional faz parte das competências da legislação federal. Para Conexis, "STF reconheceu papel vital da conectividade".




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G