GOVERNO » Legislação

Governo Bolsonaro manobra para obstruir a vigência da LGPD

Luís Osvaldo Grossmann ... 13/07/2020 ... Convergência Digital

O relator do projeto que se transformou na Lei Geral de Proteção de Dados (13.709/18), o deputado federal Orlando Silva (PCdoB-SP) aproveitou debate online nesta segunda, 13/7, para criticar as medidas de adiamento da vigência da legislação. Para ele, a mudança na entrada em vigor da LGPD cria ambiente de instabilidade. 

“A LGPD no Brasil é fruto de um longo processo de construção, de diálogo do Executivo, do Legislativo e da sociedade. E ao fim foi um texto construído com convergência e aprovado por unanimidade. No entanto, fomos surpreendidos por essa Medida Provisória, que já nasce com um ‘jabuti’ para adiar a vigência. É lamentável porque cria mais instabilidade na previsão de implementação da Lei”, afirmou Orlando Silva durante debate online promovido pela Associação Brasileiras das Empresas de Software (ABES). 

Segundo ele, a argumentação do mercado de que seria preciso dar mais tempo para a adequação aos ditames legais foi absorvida pelo Congresso Nacional, na decisão já aprovada de adiar a vigência das sanções previstas na LGPD para agosto de 2021. 

“Foi discutido adiamento de vigência da LGPD e o Congresso decidiu adiar as sanções, reconhecendo o impacto da crise da Covid-19. Por isso, no entender da maioria dos parlamentares do Congresso a MP 959 nem precisa ser votada. Eu acho que deveria ser votada e rejeitada. Mas o fato é que há uma tentativa do Executivo de obstruir a vigência da LGPD. Lamento, mas essa é a interpretação que tenho à luz dos movimentos feitos até aqui.”

O parlamentar lembra que a proteção de dados pessoais está diretamente ligada a agendas defendidas pelo governo. “Ouço o governo dizer que o Brasil deve entrar na OCDE, mas para isso o país precisa respeitar regras de proteção de dados pessoais, criar pais um ambiente seguro para transformar o país numa plataforma de exportação”. 


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Adiamento de tributos do Simples termina em setembro

A partir de outubro voltam os prazos de recolhimento adiados como medida durante a pandemia de Covid-19.

STJ nega envio de 'Caixa de Pandora' para Justiça Eleitoral

Quarta Turma do Supertior Tribunal de Justiça autorizou, no entanto, nova perícia nos vídeos que flagraram, em 2009, empresários de tecnologia da informação pagando propina a integrantes do governo do Distrito Federal. 

MCTI e MCom vão compartilhar orçamento até 2021

Portaria interministerial foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União. Até junho de 2021, os recursos serão compartilhados e será criado um Centro de Custos para a divisão dos gastos entre os dois ministérios, até a definição do orçamento de 2021.

TICs ganham fôlego com retirada do pedido de urgência da reforma tributária

Decisão agrada as empresas de software e serviços e ao mercado de telecomunicações. Isso porque a proposta de unificação do PIS e da Cofins, com elevação da alíquota para 12%, seria prejudicial para o setor, que pagaria ainda mais imposto.

Governo restringe o que ministros e secretários podem falar sobre estatais

Decreto altera o Código de Conduta da Alta Administração Federal para vedar divulgação de “informação que possa causar impacto” nas ações ou relações com consumidores, mercado e fornecedores. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G