Clicky

Convergência Digital - Home

Armazenamento por serviço: um mercado em alta com privacidade de dados

Convergência Digital
Da redação - 08/07/2020

A demanda do consumo flexível de ofertas de infraestrutura local e infraestrutura como serviço (IaaS) vai crescer 10% em 2021,revela a IDC, em estudo patrocinado pela Zadara, provedora de serviços na nuvem. Segundo a consultoria, o mercado tem o desejo de combinar os benefícios da nuvem pública com a segurança da infraestrutura local, mas também terá de se adequar às novas regras de conformidade, como a imposta pela SEC norte-americana, equivalente a nossa CVM, ao determinar que equipamentos alugados sejam incluídos nos balanços patrimoniais das empresas de capital aberto.

Os dados do Global StorageSphere da IDC mostram que a base instalada de capacidade de armazenamento deve crescer 18,4% ao ano entre 2018 a 2023, o que resultará em uma base instalada de capacidade de armazenamento de 11,7 ZB em 2023, em comparação com 5,0 ZB apurados em 2018, mais do que dobrando durante o período da previsão.

A consultoria observa que a percepção sobre dados armazenados mudou. Até entao entendidos como um mal necessário, com custos e riscos associados, agora, são percebidos como um ativo para ajudar a permitir novos insights sobre avanços tecnológicos, novos produtos ou serviços, geração de receita, aprimoramentos na produtividade e otimização de custos. A questão, adverte a IDC, é que esses dados são diversos e complexos e, em muitos casos, exigem ferramentas e habilidades avançadas para obter os insights de maneira oportuna eeconômica.

Quem também vai mudar esse mercado são as legislações de proteção de dados pessoais. As regras de conformidade como a GDPR na Europa, a Lei de Privacidade do Consumidor da Califórnia, de 1º de janeiro de 2020, e a brasileira LGPD, pontua a IDC, vão exigir conformidade às empresas e aportes em governança e segurança dos dados e são oportunidades reais para o incremento da oferta de serviços de armazenamento por serviço e uma nova maneira de fazer negócio com infraestrutura, completa a consultoria.


Destaques
Destaques

Por que se tornar uma empresa data-driven?

Data-driven ou orientada a dados. É esse o novo lema das companhias que, cada vez mais, estão armazenando e analisando dados em busca de insights de negócios. Mas o que as empresas devem fazer para abraçarem os dados de forma a promover benefícios estruturais e longevos? A resposta não é simples.

TIM une big data,LPA e robôs para controle do pagamento de impostos

Operadora elegeu a inteligência artificial para processar grandes e complexos volumes de dados com o SAS e a KPMG. Investimento ficou em torno de US$ 500 mil, ou R$ 2,65 milhões, mas parte dele já foi recuperado em pouco mais de seis meses.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Serviços SaaS, proteção de dados e a LGPD

Por Eder Miranda*

Ter um plano abrangente de proteção adicional de dados para as plataformas SaaS é vital para os negócios, uma vez que as empresas não podem abrir sem ter o controle sobre o que está sendo protegido e sobre a maneira como isso está sendo feito pelos fornecedores de software como serviço.

Cloud é bom, mas quem gerencia?

Edmilson Santana*

Se a nuvem soluciona problemas de um lado, de outro sua operação demanda a formação de um time capaz de traduzir demandas de negócio em continuidade operacional, e isso de forma ágil, produtiva e consistente.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site