Clicky

Home - Convergência Digital

5G da Claro será na faixa de 2,6 GHz

Convergência Digital* - 08/07/2020

Sem falar dos seus planos para o B2B considerado o ponto inicial do 5G no Brasil, a Claro anunciou que a partir do dia 14 de julho, vai vender 5G em regiões de São Paulo e Rio de Janeiro a partir da rede 5G DSS. Com a tecnologia Dynamic Spectrum Sharing, ou Compartilhamento Dinâmico de Espectro é possível compartilhar as frequências disponíveis hoje, já alocadas ao Serviço Móvel Pessoal (SMP).

O 5G da Claro no Brasil será na faixa de 2,6GHz, onde a operadora tem capacidade de 20 + 20 MHz que a operadora detém na faixa para a implantar a padrão 5G, aproveitando-se da tecnologia de múltiplas entradas e saídas MIMO 4×4, e onde a tele oferta o chamado LTE-Pro, o 4,5G. Clientes que adquirirem smartphones aptos já poderão ter as primeiras experiências com a tecnologia 5G, com conexões até 12 vezes mais velozes que o 4G convencional.

O anúncio da primeira rede 5G do país foi feito semana passada, de forma simultânea ao pré-lançamento do primeiro smartphone 5G no país, o Motorola Edge. O aparelho, que chega às lojas a partir do dia 14 de julho, conta com a tecnologia 5G baseada na plataforma móvel Qualcomm Snapdragon™ 765 e modem X52, que suporta o recurso DSS.

Em São Paulo, a cobertura 5G DSS da Claro estará disponível inicialmente na região da Avenida Paulista e Jardins. Nas semanas seguintes, vai gradativamente estender-se pelos bairros Campo Belo, Vila Madalena, Pinheiros, Itaim, Moema, Brooklin, Vila Olímpia, Cerqueira César, Paraíso, Ibirapuera, além da região da Av. Berrini e também de Santo Amaro, onde fica a sede da Claro em São Paulo.

No Rio de Janeiro, os primeiros pontos de cobertura estarão em Ipanema, Leblon e na Lagoa. Na seqüência devem se expandir por toda a orla, do Leme até a Barra da Tijuca, passando por Jardim Oceânico, Joá, São Conrado e Copacabana.

Comunidades

A proximidade de comunidades onde a operadora tem realizado ações sociais também foi determinante nessa etapa inicial, dentro do programa de apoio à população mais atingida pela crise do coronavírus. Através do Instituto Claro, e em parceria com Ericsson e a Central Única das Favelas (CUFA), a Claro vai levar a rede 5G  para sede da organização em Paraisópolis, em São Paulo, para que famílias, jovens e crianças possam ter acesso à internet e a aplicações de Telemedicina e Educação à Distância.

A rede 5G instalada na sede da CUFA permitirá que as Mães da Favela acessem a internet Wi-Fi para resgatar as doações recebidas. As crianças e adolescentes da região também terão acesso a materiais educativos e aulas online disponibilizados pelas escolas públicas, pelo Descomplica (plataforma de preparação para o Enem) ou no próprio site do Instituto Claro, que também disponibiliza conteúdos educacionais e de capacitação.

Também receberá a rede 5G da Claro o Instituto Pró-Saber SP, instituição presente em Paraisópolis desde 2003 e que tem o objetivo de garantir e defender o direito de toda criança ler e brincar, além de disponibilizar computadores para que os adolescentes possam fazer trabalhos escolares, por meio dos projetos Pró Ler & Brincar e Pró Ler & Brincar nas Escolas. O local conta com uma biblioteca que atende à região e que recebe mais de quatro mil usuários.

A nova rede irá apoiar à pesquisa de crianças, adolescentes e professores, facilitar o acesso dos estudantes a todo o conteúdo escolar. Em ambas as instituições, o serviço 5G também poderá ser utilizado para o acesso ao projeto Missão Covid, iniciativa que conta com mais de 1.200 médicos voluntários e já realizou cerca de 67 mil atendimentos gratuitos em pacientes com sintomas de COVID-19.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

30/11/2020
Reino Unido endossa NEC no OpenRAN para tirar Huawei e provocar Ericsson e Nokia

30/11/2020
Um em cada quatro acessos móveis na América Latina será 5G até 2026, prevê Ericsson

27/11/2020
Teles: restrição a fornecedores é um risco ao 5G e aos consumidores

26/11/2020
Palo Alto: É um erro enorme repetir o passado e não tornar a nuvem aberta de verdade

24/11/2020
Leilão 5G: Embaixada da China reage forte contra filho do presidente Jair Bolsonaro

24/11/2020
Minicom se diz cobrado por Bolsonaro para fazer o leilão 5G

24/11/2020
Highline compra Phoenix Tower e passa a deter 3,2 mil torres no Brasil

19/11/2020
Qualcomm e Nokia: Ondas milimétricas são a mudança do modelo de negócio no 5G

18/11/2020
Anatel: Cibersegurança em Telecom une teles e os mais de 10 mil prestadores de serviços SCM

17/11/2020
TBNet fecha parceria com tele para transformar 23 mil ATMs em hotspots Wi-Fi 5G

Destaques
Destaques

Qualcomm e Nokia: Ondas milimétricas são a mudança do modelo de negócio no 5G

Ondas milimétricas não apenas uma banda a mais para o 5G, mas são a base das novas aplicações com baixíssima latência, diz Francisco Soares, da Qualcomm. Wilson Cardoso, da Nokia, adverte que, até 2025, serão instaladas 200 mil ERBs para atender verticais específicas como a indústria 4.0.

Anatel: Cibersegurança em Telecom une teles e os mais de 10 mil prestadores de serviços SCM

"Não há como fazer obrigação em cibersegurança. O ambiente tem de ser cooperativo e não é apenas com as teles. São mais de 10 mil pequenos prestadores de serviços e eles têm de estar ativos. Temos de ter uma coordenação entre todos os atores", disse o superintendente de Planejamento e Regulamentação da Anatel, Nilo Pasquali.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

5G precisa ser aberto e transparente

Por Fabio Rua

É possível afirmar que estamos vivendo um momento extremamente crucial na história da tecnologia, ainda mais após todo o processo de aceleração digital e transformação exigidos durante o período da pandemia de COVID-19. As decisões que tomarmos hoje sobre como as redes 5G serão construídas em nosso país terão um impacto sem precedentes na transformação dos negócios.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site