GESTÃO

Governo recria Conselho Nacional do Consumidor e inclui Anatel

Convergência Digital ... 08/07/2020 ... Convergência Digital

O presidente Jair Bolsonaro recriou o Conselho Nacional de Defesa do Consumidor, órgão que chegou a existir durante a gestão de José Sarney, criado e, 1985 e extinto em 1990. Ligado ao Ministério da Justiça, esse conselho deve atuar na formulação e na condução da política de defesa do consumidor, e, ainda, propor recomendações aos órgãos integrantes do sistema defesa do consumidor.

Com 15 integrantes, o órgão inclui quatro agências reguladoras, ligadas às telecomunicações (Anatel), energia (Aneel), Aviação Civil (ANAC) e Petróleo (ANP). Além deles, representantes do Ministério da Economia, do Cade, do Banco Central, três Procons estaduais, um municipal, uma associação de defesa do consumidor, um fornecedor e um jurista de notório saber na área. 

O mesmo Decreto 10.417 estabelece outras duas medidas. Atribui à Secretaria Nacional do Consumidor poder para dirimir conflitos de competência caso “instaurado mais de um processo administrativo por pessoas jurídicas de direito público distintas, para apuração de infração decorrente de um mesmo fato imputado ao mesmo fornecedor”.  Além disso, a Senacon poderá avocar “os casos de processos administrativos em trâmite em mais de um Estado, que envolvam interesses difusos ou coletivos”. 


Governo busca interesse dos órgãos federais em postos para carros elétricos

Acordo entre o governo federal e o governo do Distrito Federal já prevê a instalação de seis ‘eletropostos’, mas demanda pode aumentar esse número.

Governo chega à marca de 1 mil serviços públicos digitalizados

Desempenho mantém em curso a meta de digitalização total de 3,8 mil serviços até 2022. 

Intelit: LGPD não é um único software que vai resolver tudo

A governança do processo de dados é crucial para uma boa implementação da legislação, sustenta o CEO da Intelit, Lincoln dos Santos Pinto. Segundo ele, o atraso da grande parte das empresas decorre da falta de dinheiro e da incerteza sobre a vigência da lei.

Intelit: Compras públicas têm de abrir espaço à inovação e às startups

O CEO da prestadora de serviços de TI, Lincoln dos Santos Pinto, observa que um processo de compra pública leva em torno de seis meses, o que atrasa a inovação. Sobre a venda do Serpro e Dataprev, lembra da LGPD e defende o Estado como tutor dos dados pessoais do cidadão.




  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G