Home - Convergência Digital

Venda de smartphones piratas dispara 135% no 1ºtri no Brasil

Convergência Digital - 03/07/2020

A alta do dólar e a falta de componentes, provocada pela redução nos embarques chineses com a pandemia de Covid-19, derrubou a venda de celulares no Brasil. Os números do primeiro trimestre indicam uma queda de 8,7%, sendo ainda mais aguda entre os modelos mais simples, os feature phones, que recuaram 22,4%. 

A depender do tipo de aparelho, houve aumento de até 266% nos preços, o que fez a venda de celulares ‘piratas’ disparar 135%, segundo apontam os números divulgados pela IDC Brasil. "Estávamos otimistas no início do ano. Fechamos janeiro com alta de 14%, mas com a proximidade da pandemia de Covid-19 as vendas começaram a cair", aponta a consultoria.

Entre janeiro e março foram vendidos oficialmente no Brasil 10,4 milhões de celulares, 8,7 % a menos do que no mesmo período do ano passado. Do total, 9,8 milhões foram smartphones, queda de 7,8%, e 544 mil foram feature phones, retração de 22,4% em relação ao primeiro trimestre de 2019. 

Como apontado no levantamento, a situação foi se agravando. Enquanto em fevereiro a queda nas vendas foi de apenas 4%, reflexo do desabastecimento do varejo, o recuou chegou a 27% em março, com o início da quarentena e fechamento do comércio. 

No mercado oficial, a receita com smartphones foi de R$ 14,5 bilhões e a de feature phones, R$ 96 milhões, respectivamente, 6,2% e 25,9% maior do que no mesmo período do ano passado. Desempenho diretamente associado ao aumento dos preços – a alta foi, em média, de 15,1%, por conta da desvalorização do real. 

Assim, o preço médio de um aparelho foi de R$1.473. Os mais vendidos, com 5,1 milhões de unidades, foram os intermediários premium, com preço entre R$ 1000 e R$ 1999, alta de 53%, e os da categoria premium, entre R$ 2000 e R$ 2999, com 1,2 milhões de unidades e 266,5% de aumento em relação a janeiro e março de 2019. Os feature phones ficaram 62,1% mais caros, custando em média R$ 177. 

No mesmo período foram vendidos no mercado cinza 1,1 milhão de smartphones, alta de 135% em relação ao primeiro trimestre de 2019 – ajudados pela queda de 10% nos preços dos ‘piratas’. Nem isso ajudou os feature phones, que apresentaram vendas de 30 mil unidades, 86% a menos do que o mesmo período de 2019, e mesmo com preço médio 31,5% mais baixo. 

No segundo trimestre de 2020, os efeitos da pandemia devem ser ainda mais sentidos no mercado de celulares, resultado do fechamento do comércio em abril e maio. A expectativa é de queda de 32%, mesmo com Dia das Mães no período. Para o mercado cinza, a previsão também é de queda por conta da alta do dólar e das ofertas do varejo oficial, após a flexibilização e abertura do comércio físico. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

14/07/2020
Teles quebram dados móveis em bairros e regiões para combate à Covid-19

03/07/2020
Venda de smartphones piratas dispara 135% no 1ºtri no Brasil

08/06/2020
Justiça mantém uso de celulares para monitoramento da Covid-19 em São Paulo

22/05/2020
TST adota aplicativos de mensagens para conciliar patrões e empregados

18/05/2020
MPF quer que STF autorize acesso a dados de celular sem ordem judicial

14/05/2020
LGPD faz falta para cuidar da privacidade no uso de dados na Covid-19

13/05/2020
TJSP revê decisão e autoriza monitoramento de celular para controle da Covid-19

11/05/2020
Dispara número de estados e municípios que usam dados celulares na Covid-19

08/05/2020
STF suspende Lei de SC que proíbe SVA nos planos de telecom

04/05/2020
STF derruba lei de São Paulo sobre instalação de antenas de celular

Destaques
Destaques

Venda de smartphones piratas dispara 135% no 1ºtri no Brasil

Tombo no primeiro trimestre foi de 8,7% - e chegou a 22,4% entre os aparelhos mais simples. Alta do dólar e a falta de componentes impactaram a venda dos dispositivos no país.

Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

Pesquisa da Omdia, ex-Ovum, em parceria com a Nokia, mostra que, nos próximos 15 anos, o 5G vai gerar R$ 5,5 trilhões para o País, sendo o governo beneficiado com o adicional de quase R$ 1 bilhão em receita com os serviços 5G.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site