TELECOM

Faixa de 1,5 GHz também pode ser destinada ao 5G para uso privado

Luís Osvaldo Grossmann ... 02/07/2020 ... Convergência Digital

A Anatel está discutindo a possibilidade de destinação da faixa de 1.427 a 1.518 MHz, chamada Banda L, para uso em serviços de quinta geração da telefonia, permitindo aplicações do Serviço Móvel Pessoal, mas também para o Serviço Limitado Privado, além de telefonia fixa (STFC) e banda larga (SCM). 

“Essa faixa conta com porções sem qualquer destinação. E estudos internacionais estabeleceram novas especificações para a faixa, com especial vista ao 5G. A UIT expediu recomendações com arranjos TDD, FDD e como complemento ao enlace de descida (SDL)”, explicou o relator da proposta, conselheiro Emmanoel Campelo.

Segundo ele, “também demonstraram interesse na matéria segmentos da indústria, seja para manter operações já existentes de comunicação e automação em minas e refinarias, seja pela expectativa de adiantar a construção de redes 5G para uso privado”. 

Como há preocupações do setor de satélite, a proposta prevê que os últimos 30 MHz da faixa em estudo deverão ser outorgados prioritariamente à exploração do SLP, como forma de também evitar maiores interferências em serviços via satélite em faixas adjacentes. 

Além disso, parte da faixa, entre 1.452 MHz e 1.466 MHz, é usada pela Força Aérea Brasileira para aplicações de Telemetria. A proposta prevê que esse uso do Serviço Móvel Aeronáutico continue em caráter primário até 31 de dezembro de 2023, passando então para secundário. Pedido de vistas do conselheiro Vicente Aquino adiou uma decisão da agência.


Internet Móvel 3G 4G
Coronavírus SUS vai rastrear contatos de infectados com covid-19

Tecnologia só será ativada se o usuário habilitar a função 'notificação de exposição' nas configurações do aplicativo. O sistema não identifica o doente, apenas avisa da proximidade de alguém que, voluntariamente, informou estar com diagnóstico positivo para a doença nos últimos 14 dias.

Oi quer corte de dívida com Anatel por desequilíbrio na concessão

“Tem que fazer um PGMU mais leve para que a gente possa respirar”, defende a diretora regulatória, Adriana Costa. Anatel esclarece que concessão não é sinônimo de lucro garantido. 

Huawei defende reserva de 500 MHz da faixa de 6GHz para as teles

Para o diretor da Huawei Brasil, Carlos Lauria, a reserva técnica é a melhor garantia para aguardar a evolução da tecnologia. "Se der tudo agora, não tem como voltar atrás depois", observa o executivo.

Qualcomm defende faixa de 6GHz para não licenciados atenta ao 5G

Diretor da Qualcomm, Francisco Soares, espera que a Anatel se defina por dar os 1,2GHz para os serviços licenciados. "O 6GHz não licenciado será o complemento ideal para os serviços licenciados 5G", sustenta.

Anatel define se faixa de 6GHz será 100% não licenciada ou terá 500 MHz para as teles

"A área técnica recomendou o uso para não-licenciado", contou o superintendente da Anatel, Vinicius Caram, ao participar do eForum Wi-Fi 6, realizado pelo Convergência Digital e pela Network Eventos.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G