Home - Convergência Digital

Rafael Steinhauser deixa o comando da Qualcomm no Brasil e na AL

Convergência Digital* - 01/07/2020

Rafael Steinhauser não é mais presidente da Qualcomm no Brasil e na América Latina. Em um comunicado, o próprio executivo informa que encerrou o seu segundo ciclo à frente da companhia nesta terça-feira, 30/06.A Qualcomm confirma a saída do executivo e informa que Jim Cathey, vice-presidente sênior e presidente de operações globais, assume a função de forma interina.

Steinhauser voltou à fabricante norte-americana em 2011, mas de 1990 a 1999 já tinha trabalhado na empresa. Steinhauser, inclusive, foi o primeiro funcionário da Qualcomm no Brasil, para defender a tecnologia CDMA para a telefonia móvel.

No informe, Steinhauser sustenta que participou de grandes conquistas como a construção da primeira rede nacional de infraestrutura celular da Qualcomm no Chile, a adoção do padrão CDMA na América Latina, a primeira fábrica de celulares da empresa fora dos EUA, a operação de telefonia fixa Vésper, a aceleração da adoção de Smartphones no Brasil, a plataforma celular de cobrança reversa, o primeiro celular de tecnologia SiP do mundo junto com a ASUS em 2019 .

E em 2020, esteve à frente do estabelecimento do Centro para a Quarta Revolução Industrial C4IR junto ao WEF, e do Fundo de IoT em colaboração com o BNDES. Oficialmente, a Qualcomm ainda não se pronunciou sobre a troca de comando no Brasil.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

Diversidade e Ciência de Dados: um desafio ao Brasil

Mais mulheres precisam ocupar carreiras em Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática pelo bem do País, incentiva a embaixadora da Women in Data Science da USP (WiDS @USP), Renata Sousa.

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A confiança é ganha com mil atos e perdida com apenas um

Por Luis Banhara*

À medida que o conceito de trabalho se descola dos escritórios, mesmo que parcialmente, surgem novos desafios de segurança. A superfície de ataque foi ampliada.

Destaques
Destaques

Certificação é critério de seleção para encarregado de dados

Ainda que a LGPD não exija qualificação específica, o mercado busca profissionais com conhecimento na área. Formação pode custar até R$ 6 mil, observou Mariana Blanes, advogada e sócia do Martinelli Advogados, ao participar do CD em Pauta.

Teletrabalho: sem regulamentação, sem direitos, sem deveres, sem regras

Depois da nota técnica do MPT alertando para o direito à desconexão, Congresso tenta acelerar a votação dos PLs que tratam do tema, entre eles o PL 3915/20. O tema é complexo. IN 65, do governo federal, repassa os custos com tecnologia para os servidores no home office.

Ministério Público: Teletrabalho exige direito à desconexão

Ministério Público do Trabalho elaborou uma nota técnica direcionada para as “empresas, sindicatos e órgãos da administração pública”.  Na orientação, sugere a adoção de etiqueta digital para orientação de patrões e empregados.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site