Home - Convergência Digital

Oi vende streaming com pagamento por cartão de crédito

Da redação - 22/06/2020

A Oi inicia a venda de seu serviço de streaming que agrega conteúdos de vídeo, o Oi Play, com pagamento por cartão de crédito. O objetivo da operadora é expandir o serviço para sua base dos planos pré e controle que conta com cerca de 30 milhões de clientes. A partir de agora, Oi Play está disponível para contratação com três diferentes ofertas que oferecem acesso a até 50 canais ao vivo e aos melhores conteúdos de filmes, séries, notícias, programação infantil e esportiva, além de filmes recém lançados no cinema. Clientes que desfrutarem do serviço por um telefone móvel da Oi não serão descontados da sua franquia de internet. Todo o conteúdo do Oi Play é disponibilizado a partir de uma plataforma única e pode ser personalizado pelo usuário a qualquer momento.

"O Oi Play é a aposta da Oi na sua estratégia de oferta de conteúdo de vídeo por streaming e é considerado um grande diferencial dos serviços da companhia. O sucesso do produto estimulou a Oi a ampliar a sua oferta para clientes dos planos pré ou controle, que até então não tinham acesso, mas também a ser a primeira operadora a ingressar nesse novo modelo de negócio, com ofertas com pagamento por cartão de crédito. O objetivo da companhia é expandir a penetração do produto para toda a sua base de clientes e consequentemente ampliar a receita", afirma Bernardo Winik, VP de Clientes da Oi.

O Oi Play oferece ao cliente uma jornada 100% digital, desde a contratação, à navegação e ao pagamento via cartão de crédito. O produto tem interface intuitiva, com base nas melhores práticas do mercado, e o cliente acessa com um mesmo login aos mais diversos conteúdos dos parceiros, em única plataforma, pela web ou pelo aplicativo. O Oi Play reúne os conteúdos de video on demand dos principais parceiros (ex.: Discovery, ESPN, FOX, HBO, Telecine, CN Já, EI Plus, Paramount+, e Vubiquity), acaba de expandir sua programação para até 50 canais ao vivo (funcionalidade depende do serviço e da oferta do cliente) e ainda permite alugar filmes recém lançados no cinema. O serviço já foi acessado por cerca de 1,4 milhão de usuários. Desse total, 42% foram para o consumo de filmes, 27% para conteúdo infantil, 26% para canais ao vivo e 5% para outros tipos de conteúdo.

 Entre os principais diferenciais do Oi Play está a funcionalidade "Pra trocar", que oferece ao usuário a possibilidade de escolher que serviços de video on demand vai consumir de acordo com seu perfil de interesse. Cada conteúdo disponível para troca têm um valor em "Plays", a moeda virtual da plataforma que varia de 5 a 85 Plays vinculados à sua oferta. Ao efetuar o 1º login, o cliente escolhe os conteúdos que deseja consumir e, após 30 dias, pode trocá-los por outras opções acessando o menu "Pra Trocar". Essa funcionalidade permite a personalização do pacote do cliente conforme a sua necessidade e seu interesse possibilitando o consumo de conteúdos de sucesso mundial dos parceiros conforme lançamento.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

31/07/2020
Oi: "É esperado que Anatel cumpra seus ritos e protocolos"

31/07/2020
Anatel manifesta objeção contra o aditamento da recuperação judicial da Oi

31/07/2020
Oi quer corte de dívida com Anatel por desequilíbrio na concessão

28/07/2020
Oi reafirma acordo com a Highline, mas assume estudar nova proposta das teles

28/07/2020
TST: Recuperação judicial não isenta Oi de depósito trabalhista

28/07/2020
Claro,TIM e Vivo exigem ter prioridade na compra da Oi Móvel

28/07/2020
Guerra pela Oi Móvel. Claro, TIM e Vivo sobem proposta para R$ 16,5 bilhões

27/07/2020
Segurança digital faz Oi ultrapassar a marca de 125 mil elementos monitorados em SOCs

23/07/2020
Highline desbanca Claro, TIM e Vivo e fica com prioridade para compra da Oi Móvel

22/07/2020
Oi Móvel: Algar Telecom diz que é obrigação avaliar as oportunidades

Destaques
Destaques

Venda de smartphones piratas dispara 135% no 1ºtri no Brasil

Tombo no primeiro trimestre foi de 8,7% - e chegou a 22,4% entre os aparelhos mais simples. Alta do dólar e a falta de componentes impactaram a venda dos dispositivos no país.

Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

Pesquisa da Omdia, ex-Ovum, em parceria com a Nokia, mostra que, nos próximos 15 anos, o 5G vai gerar R$ 5,5 trilhões para o País, sendo o governo beneficiado com o adicional de quase R$ 1 bilhão em receita com os serviços 5G.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site