Claro/Embratel, TIM e Vivo estão fora do processo de venda da infraestrutura de rede da Oi

Ana Paula Lobo ... 16/06/2020 ... Convergência Digital

Em entrevista aos portais especializados - Convergência Digital, Tele.Síntese e Teletime - o CEO da Oi, Rodrigo Abreu, afirmou que as rivais- Claro/Embratel, TIM e Vivo - estão fora do processo de venda da unidade de infraestrutura, batizada de InfraCo, no aditamento ao plano de Recuperação Judicial, apresentado nesta terça-feira, 16/06, ao mercado.

"Foi uma decisão nossa não ter as nossas rivais entre as possíveis compradoras.  A ideia é ter uma rede neutra que mais à frente terá até 30% da sua receita vinda do mercado. Também decidimos que não haverá fatiamento, ou seja, a InfraCo será uma empresa nacional, de escala e de grande atratividade. Ela tem um grande potencial para atender o presente e o futuro", afirmou Abreu.

O executivo explicou ainda que a ClientCo, ou a Oi S.A., manterá toda a carteira de clientes do Oi Fibra, da telefonia fixa, da TV, dos clientes B2B, da Oi Soluções. A separação será estrutural. "Quem tem o cliente final é a ClientCo. Nós vamos contratar e pagar a infraestrutura usada da InfraCo ou de quem vier comprá-la". Segundo Abreu, sem ter de investir em desenvolvimento de produto, em marketing, vendas e aquisição de clientes, a InfraCo vai gerar caixa operacional ainda no seu primeiro ano de operação".

Abreu assegura que a primeira fase da rodada da venda da infraestrutura já está acontecendo e que há muito interesse de fundos financeiros. "Está tendo competição e bastante interesse", disse, sem revelar quem seriam esses compradores. Expectativa da Oi é finalizar todo o processo de reestruturação até o final de 2021. "Se tudo sair como planejamos, a Oi S.A., ou ClientCo, será uma empresa de R$ 10 bilhões de receita, e com solidez operacional e financeira. Mas é certo que ainda temos muito trabalho pela frente", adicionou. O CEO da Oi evitou, porém, em falar sobre redução de funcionários em função do novo processo de alinhamento da recuperação judicial.


Internet Móvel 3G 4G
Edital do 5G vai ao mercado com ou sem venda da Oi Móvel

"Não vou submeter um processo de política pública, como é o edital 5G, a uma fusão e aquisição", afirmou o presidente da Anatel, Leonardo de Morais.

Anatel recria 10 colegiados após extinção por Decreto presidencial

Uso do Espectro, Defesa dos Usuários, Prestadoras de Pequeno Porte, Aferição da Qualidade, Ofertas de Atacado, Acompanhamento de Redes são alguns dos grupos reestabelecidos pela agência. 

Reclamações contra oferta de banda larga crescem 40% com a quarentena da Covid-19

Queixas na Anatel cresceram especialmente a partir de março. No conjunto dos serviços, agência recebeu 1,52 milhão de reclamações entre janeiro e junho. Também houve um aumento de 20% com relação à telefonia móvel.

Oi quer corte de dívida com Anatel por desequilíbrio na concessão

“Tem que fazer um PGMU mais leve para que a gente possa respirar”, defende a diretora regulatória, Adriana Costa. Anatel esclarece que concessão não é sinônimo de lucro garantido. 

Huawei defende reserva de 500 MHz da faixa de 6GHz para as teles

Para o diretor da Huawei Brasil, Carlos Lauria, a reserva técnica é a melhor garantia para aguardar a evolução da tecnologia. "Se der tudo agora, não tem como voltar atrás depois", observa o executivo.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G