TELECOM

TelComp: roubos de cabos, fibras e equipamentos não deram trégua na pandemia

Ana Paula Lobo ... 04/06/2020 ... Convergência Digital

Os roubos de equipamentos de telecomunicações não diminuíram em função da Covid-19, lamenta o presidente da TelComp, João Moura. Segundo ele, as operadoras investiram na tecnologia para minimizar o efeito dos roubos como, por exemplo, a adoção dos chips nas caixas de emendas e nas máquinas de ferramentas de maior valor agregado, o que reduziu a ação dos criminosos, mas o roubo de cabos metálicos e fibra ótica – onde a tecnologia não tem ainda como ser usada – não cessou.

"Tivemos dois episódios em Porto Alegre e São Paulo bastantes significativos. As equipes de manutenção estão sob estresse. Eles são serviços essenciais e lidam com tudo na rua. O roubo para o serviço, desgasta o usuário, desgasta a operadora, desgasta todo mundo", lamenta Moura. Com relação à tecnologia, o presidente da TelComp diz que o uso dos chips permitiu, ao menos, o rastreio e a recuperação dos equipamentos, muitas vezes em outros Estados.

Para Moura, o ecossistema usuário dos postes precisa agir. Ele lembra que as distribuidoras são donas dos postes, as operadoras têm de gerir a manutenção das suas redes e a polícia precisa impedir que os criminosos atuem. "O vandalismo tem um custo imenso para as elétricas, para as operadoras e para a sociedade", reforça Moura, sem no entanto, quantificar esse valor.

No último estudo disponibilizado sobre o tema pelo SindiTelebrasil, em 2016, o roubo de cabos e rádios de Telecom custavam R$ 320 milhões ao ano às operadoras. O mercado negro é considerado o grande comprador dos equipamentos roubados, uma vez que o material é reciclado e reutilizado em diferentes mercados.


Internet Móvel 3G 4G
Claro traz 5G com compartilhamento de frequência para o Brasil

Depois de teste, realizado em fevereiro, a tele anuncia o 5G DSS, com smartphone Edge, da Motrorola, com 5G. Conexões podem ser até 12 vezes mais velozes do que no 4G. A tecnologia é da Ericsson. Aquisição da Nextel foi considerada estratégica para o serviço.

Faixa de 1,5 GHz também pode ser destinada ao 5G para uso privado

Proposta foi apresentada em reunião do Conselho Diretor da Anatel.  Mas a faixa é usada pela Força Aérea Brasileira para aplicações de telemetria. Agência sugere destinar 30 MHz para satélites, como forma de evitar interferência.

Telefone ainda é o canal preferido para reclamações sobre serviços

Desde o início da pandemia da Covid-19, mais de um terço das solicitações (36%) foi encaminhada por telefone, bem à frente chat (21%) e email (20%).

Anatel publica novo regulamento de arrecadação de tributos

Norma disciplina recolhimento do FUST, Fistel, e da Contribuição para o Fomento da Radiodifusão Pública.

Oi: Atraso do novo marco de Telecom jogou ao menos R$ 3 bilhões no 'ralo'

A migração de concessão para autorização só vai acontecer se o processo for sustentável. "Ou resolvemos antes ou esse problema termina em 2025", afirmou o CEO da Oi, Rodrigo Abreu. Sobre a Anatel, principal credora da Oi, o executivo disse que vai busca nova negociação. A volta do Minicom é positiva. "Teremos um interlocutor mais próximo".

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G