Convergência Digital - Home

Com Serpro, AWS ataca duas pontas dos contratos de nuvem no governo

Convergência Digital
Luís Osvaldo Grossmann - 02/06/2020

A gigante global de serviços em nuvem AWS correu na frente e se posicionou em duas frentes para atender a transformação digital do governo brasileiro. De um lado, em um acordo com a Claro/Embratel, se tornou a primeira fornecedora direta em contratos acompanhados pela Secretaria de Governo Digital. E foi a primeira a se garantir na multinuvem que o Serpro passa a oferecer aos órgãos públicos. 

“Conseguimos atender muitos dos requisitos da Estratégia de Governo Digital 2020-2022 e muitos serviços poderão ser complementados e implementados usando essa parceria, pela transformação digital do governo brasileiro”, festejou nesta terça, 2/6, o diretor de setor público da AWS no Brasil, Paulo Cunha, durante apresentação online do acordo AWS/Serpro. 

O presidente do Serpro, Caio Paes de Andrade, adiantou que o objetivo é oferecer um cardápio de serviços de nuvem para os clientes, posicionando a empresa como broker. “O que o Serpro se propõe a fazer é ser um vetor importante, um pilar da transformação digital do Estado brasileiro”, afirmou. 

A AWS fornece a ‘nuvem’ que sustenta os contratos ganhos pela Claro/Embratel no que é a primeira nuvem pública do governo federal, com 23 órgãos. Mas via Serpro o potencial é até maior. Se o atendimento dos 23 órgãos em nuvem pública envolveu contratos que somam cerca de R$ 55 milhões, o acordo com o Serpro prevê até R$ 71,2 milhões em cinco anos. E segundo o diretor de operações da estatal, Antonino dos Santos Guerra, mais de uma centena de novos clientes estão em prospecção. 

Até por isso, demais fornecedores de nuvem virão para o guarda-chuva do Serpro. “Outros parceiros virão, porque a característica da nuvem de uma empresa como Serpro, de governo, é que a gente tenha mais de um parceiro para prestar o serviço. Todos os eventuais suspeitos estão à mesa. Estamos conversando com todos que tem nuvem desse nível, com alta tecnologia e segurança”, reconheceu Caio Paes de Andrade. Estão na fila acordos semelhantes com Huawei, Microsoft, Google, Oracle e IBM. 

São acordos mais ágeis, em resposta à queixa de demora dos processos pela via estatal. “O setor público, pelas regras que tem que obedecer, acaba ficando lento, e a tecnologia voando. Se não conseguirmos fazer as parcerias não vamos conseguir fazer frente aos desafios que serão colocados. Para isso é muito importante a Lei das Estatais”, explicou o presidente do Serpro. 

Firmado a partir do chamamento público aberto pela estatal ainda em 2019, os acordos são no modelo de parceria de negócios, sem licitação. Significa que Serpro e AWS, por exemplo nos termos já firmados, vão dividir as receitas a partir da venda dos serviços em nuvem. 


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

CSU avança de empresa de BPO para uma companhia de tecnologia

Com diferentes atividades, entre elas, processamento de transações eletrônicas de meios de pagamento e serviços de relacionamento com clientes, a CSU contratou o NICE Nexidia para melhorar os resultados dos negócios com uma abordagem consultiva e analítica.

Desafio nacional: identificar os dados efetivamente valiosos ao negócio

Pesquisa da IDC mostra que quase a metade companhias pesquisadas no Brasil admitiu ter dificuldade para encontrar talentos e recursos responsáveis pelas análises das informações.

Destaques
Destaques

Quase metade das empresas vai investir em edge computing na América Latina

Pesquisa da IDC Brasil, realizada para a Oi Soluções, revela ainda que 66% das empresas deverão ativar digitalmente seus modelos operacionais e terão o trabalho remoto incluído de forma permanente em suas políticas de recursos humanos.

Eletrobras contrata Analytics para acelerar jornada digital

Estatal, responsável por 1/3 da capacidade elétrica do Brasil, quer usar os dados para manter as melhores práticas de governança e investir em IoT, chatbots e robôs.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem pública?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site