TELECOM

Banda larga fixa ultrapassa a telefonia fixa no Brasil

Ana Paula Lobo* ... 28/05/2020 ... Convergência Digital

A banda larga fixa superou, pela primeira vez, os acessos da telefonia fixa no Brasil, conforme dados divulgados pela Anatel nesta quinta-feira, 28/05. Impulsionada pelos provedores Internet, a banda larga fixa fechou março com 33 milhões de acessos ativos. Os prestadores de serviços Internet fecharam o terceiro mês do ano com 32,1% de market share, consolidando a liderança do mercado e ficando à frente da Claro, com 29,3%. No ranking nacional da banda larga fixa, a Vivo aparece na segunda posição com 20,6% e a Oi na terceira posição com 15,6%.

Mas o mês de março - que demarcou o começo da pandemia de covid-19 no Brasil  - não foi bom para os setor, que perdeu 151,8 mil assinantes em relação a fevereiro e será preciso acompanhar o impacto da Covid-19 após esses dois meses de isolamento social. O sucesso da banda larga fixa  trouxe um impulso à implantação e ao uso fibra ótica, que cresceu, de acordo com dados da Anatel, 70,4% nos últimos 12 meses - março a março - com 11,3 milhões de acessos, ou 34,3% do total de assinaturas.

Em contrapartida, a telefonia fixa só faz cair no Brasil. Em 12 meses, 3,9 milhões de contratos foram cancelados, com as concessionárias registrando uma queda de 14,2%. A baixa também atingiu às autorizadas, que tiveram uma redução de 6,5% no mesmo período. Na telefonia fixa, a Vivo aparece na primeira posição com 31,2%, a Oi com 30,6% e a Claro com 29,2%.

Outro segmento em forte baixa é o da TV por assinatura, que perdeu mais 1,9 milhão de assinantes em 12 meses fechando o período com 15,4 milhões. Em 2019, eram 17,3 milhões. A Claro, somando Embratel e NET, mantém uma liderança folgada com 49% de market share. A Sky/AT&T desponta na segunda posição, mas bem atrás com 29,8%. A Oi aparece na terceira posição com 9,8% e a Vivo na quarta posição com 8,3%.

Os dados da Anatel revelam ainda que  o setor de Telecomunicações no Brasil fechou março com 307,3 milhões de acessos, contabilizando-se os serviços de Telefonia Móvel, Telefonia Fixa, Banda Larga Fixa e TV por Assinatura.

*Com dados apurados na Anatel


Com Lei, small cells avançam no Distrito Federal

"As pequenas antenas são essenciais para a melhor cobertura do 4G e depois para o 5G e tiveram dispensa de licitação. Podem ser colocadas em bancas, placas de sinalização, etc.", explica o diretor do SindiTelebrasil, Ricardo Dieckmann. Gargalos, agora, seguem sendo São Paulo e Belo Horizonte.

Teles quebram dados móveis em bairros e regiões para combate à Covid-19

Ferramenta é usada por 22 cidades e 17 estados: Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Sergipe e São Paulo.

Padtec reorganiza e se prepara para ir à Bolsa de Valores

IdeiasNet, ex-controladora, foi incorporada pela Padtec Holding. Ida à B3 é estratégia de médio prazo e servirá para a expansão internacional da companhia.

Londrina quer vender Sercomtel por R$ 130 milhões

Tentativa de privatização da operadora, que tem cerca de 400 mil acessos de telefonia e internet, foi remarcada para 18/8, na B3. Prefeitura admitiu o parcelamento na aquisição para atrair interessados nessa nova tentativa.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G