Home - Convergência Digital

Brasileiro usa pouco a Internet para fazer compras e teletrabalho

Ana Paula Lobo* - 26/05/2020

O brasileiro consome muito a Internet, mas ainda a usa pouco para transações e trabalho, aponta a TIC Domicílios 2019, divulgada nesta terça-feira, 26/05, pelo CETIC.br. O levantamento mostra que apenas 39% dos usuários da Rede no Brasil fizeram compras online ao longo de 2019, conforme mostra a TIC Domicílios 2019, o que mostra um caminho a ser desbravado no ecommerce. Já no trabalho remoto, o percentual é mais baixo: 33% e muito centrado nas classes A e B. Vale observar que a pesquisa foi feita de outubro a março deste ano, e acabou antes da pandemia de Covid-19.

O relatório mostra ainda que 41% dos usuários de Internet afirmam efetuar atividades ou pesquisas escolares na rede, sendo que 40% estudam por conta própria e 12% realizam cursos à distância. Apenas um terço dos usuários (33%) fazem trabalho pela Internet, sendo que essa proporção representa menos da metade da força de trabalho (45%). O teletrabalho - massificado pela pandemia de Covid-19 - era realidade apenas para as classes A e B. Nas classes D e E, o índice fica em apenas 18%.

As atividades de comunicação são as mais comuns no uso da rede, sendo o envio de mensagens instantâneas realizado por 92% dos usuários de Internet, seguido pelo uso de redes sociais (76%) e chamadas por voz ou vídeo (73%), em crescimento nos últimos anos. A busca por informações também está entre as principais atividades realizadas na Internet, sobretudo a busca por produtos e serviços (59%), seguida por assuntos relacionados a saúde ou a serviços de saúde (47%). Essa última apresenta uma proporção menor entre pessoas de 60 anos ou mais (39%) e nas classes DE (31%).

Ainda, 41% dos usuários de Internet afirmam efetuar atividades ou pesquisas escolares na rede, sendo que 40% estudam por conta própria e 12% realizam cursos à distância.

Atividades culturais na Internet

Assistir a vídeos (74%) e ouvir música (72%) também estão entre as atividades mais realizadas pelos usuários de Internet brasileiros. Isso corresponde a pouco mais da metade da população acima dos 10 anos que realiza tais atividades (56%), havendo, nos últimos anos, uma ampliação do consumo via streaming.

Os vídeos, programas, filmes ou séries são mais assistidos em sítios ou por aplicativos de compartilhamento de vídeos (46%), por aplicativos de mensagens instantâneas (44%), seguidos pelas redes sociais (38%) e por serviços por assinatura (33%). O pagamento para assistir a filmes e séries na Internet ocorre em quase a metade dos indivíduos da classe A, e cerca de um terço da classe B, sendo pouco comum entre usuários das classes C e DE.

Em relação às atividades culturais, a TIC Domicílios 2019 investigou também, de forma inédita, a proporção dos usuários de Internet que escuta podcasts (13%), com predominância entre usuários da classe A (37%) e que possuem ensino superior (26%).

O Brasil conta com 134 milhões de usuários de Internet, o que representa 74% da população com 10 anos ou mais. Apesar do aumento significativo nos últimos anos na proporção da população brasileira que usa a Internet, cerca de um quarto dos indivíduos (47 milhões de pessoas) seguem desconectados.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

01/10/2020
Covid-19: maioria teme o uso dos dados pessoais nos serviços públicos online

24/09/2020
TSE convoca empresas a apresentarem soluções para voto online

21/09/2020
Justiça trava Trump e suspende banimento do WeChat nos EUA

18/09/2020
Ainda sem chancela de Trump à Oracle, EUA banem TikTok e WeChat no domingo

16/09/2020
Em parceria com CGI.br, USP cria cátedra de Internet

16/09/2020
iFood compra SiteMercado e avança em entregas de mercadorias

14/09/2020
YouTube corre atrás de rivais e lança Shorts, para vídeos curtos pelo celular

14/09/2020
Oracle derrota Microsoft na disputa pela chinesa TikTok

10/09/2020
PF prende homem que aplicou 1,3 mil entregas falsas pela internet

10/09/2020
Justiça manda 'youtuber' divulgar direito de resposta para emissora de TV

Destaques
Destaques

Vitor Menezes, Minicom: Vamos brigar por um leilão 5G não arrecadatório

O Ministério das Comunicações sinalizou às operadoras que trabalha para convencer os colegas de Esplanada a concentrar os valores envolvidos no leilão do 5G em compromissos de cobertura, minimizando o preço a ser pago ao Estado, afirmou o secretário de Telecomunicações, Vitor Menezes, ao participar do Painel Telebrasil 2020.

Claro: Sem antenas, São Paulo fica fora do 5G

CEO da Claro, Paulo Cesar Teixeira, criticou a miopia de executivos que ainda insistem em colocar restrições à implantação de antenas, como acontece na cidade de São Paulo. "5G é a grande plataforma para permitir um salto econômico mais vigoroso", advertiu.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Internet 5G traz disrupção para Telecomunicações até no modelo de negócio

Por Eduardo Grizendi*

Na RNP, estabelecemos um objetivo estratégico ambicioso – o de prover uma ciberinfraestrutura, segura, de alto desempenho e disponibilidade e, ao mesmo tempo, ubíqua, onipresente, em qualquer lugar e a qualquer hora, para nossas comunidades de educação, pesquisa e inovação.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site