TELECOM

Governo tem quatro normas na fila para direcionar investimentos de telecom

Luís Osvaldo Grossmann ... 25/05/2020 ... Convergência Digital

O governo federal tem quatro instrumentos regulatórios à mão para induzir as operadoras de telecomunicações a levarem serviços mesmo em locais de baixa atratividade econômica. E segundo o secretário de telecomunicações do MCTIC, Vitor Menezes, vai usá-los em série para direcionar o acesso à redes. 

“Historicamente tem sido um sucesso utilizar parte da arrecadação dos leilões para direcionar investimentos. Assim chegamos a 90% das cidades com 4G, a 100% das cidades com 3G”, afirmou o secretário em debate online promovido pelo portal Tele.Síntese nesta segunda, 25/5. Como apontou, “não vai ser diferente com o edital do 5G” e demais movimentos normativo/regulatórios no futuro próximo. 

“Com base no Decreto 9.612/18,  que é um grande guarda-chuva debaixo do qual estão as outras políticas públicas, colocamos atendimento com 4G ou superior para vilas e aglomerados rurais com mais de 600 habitantes. Colocamos as rodovias federais. E fibra óptica nas redes de transporte de alta velocidade em municípios que ainda não estavam atendidos.”

“E as demais áreas? Temos uma série de instrumentos de politica pública à disposição do estado. Temos o edital do 5G; a migração do regime de concessão para autorização, que vai carregar uma série de investimentos obrigatórios; uma portaria que está sendo editada para estabelecer a política pública dos Termos de Ajustamento de Conduta, com as prioridades; e temos também o PGMU, que já é um instrumento muito utilizado. Estamos pensando até em fazer modificações no PGMU, focadas em redes de transporte. Edital, Lei, Portaria e PGMU devem trazer uma série de investimentos.”


Internet Móvel 3G 4G
Coronavírus SUS vai rastrear contatos de infectados com covid-19

Tecnologia só será ativada se o usuário habilitar a função 'notificação de exposição' nas configurações do aplicativo. O sistema não identifica o doente, apenas avisa da proximidade de alguém que, voluntariamente, informou estar com diagnóstico positivo para a doença nos últimos 14 dias.

Oi quer corte de dívida com Anatel por desequilíbrio na concessão

“Tem que fazer um PGMU mais leve para que a gente possa respirar”, defende a diretora regulatória, Adriana Costa. Anatel esclarece que concessão não é sinônimo de lucro garantido. 

Huawei defende reserva de 500 MHz da faixa de 6GHz para as teles

Para o diretor da Huawei Brasil, Carlos Lauria, a reserva técnica é a melhor garantia para aguardar a evolução da tecnologia. "Se der tudo agora, não tem como voltar atrás depois", observa o executivo.

Qualcomm defende faixa de 6GHz para não licenciados atenta ao 5G

Diretor da Qualcomm, Francisco Soares, espera que a Anatel se defina por dar os 1,2GHz para os serviços licenciados. "O 6GHz não licenciado será o complemento ideal para os serviços licenciados 5G", sustenta.

Anatel define se faixa de 6GHz será 100% não licenciada ou terá 500 MHz para as teles

"A área técnica recomendou o uso para não-licenciado", contou o superintendente da Anatel, Vinicius Caram, ao participar do eForum Wi-Fi 6, realizado pelo Convergência Digital e pela Network Eventos.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G