INOVAÇÃO

Open Banking começa com modelo de autorregulação

Convergência Digital* ... 19/05/2020 ... Convergência Digital

O sistema de ‘open banking’, que o Banco Central começa a implementar neste ano de 2020, será autorregulado, segundo indicou o diretor de regulação da autoridade monetária, Otávio Damaso. Ao tratar do tema durante videoconferência promovida pela Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs), o diretor do BC chamou o modelo de “autorregulação assistida”. 

“Se a coisa não andar da forma como o Banco Central quer, ou qual expectativa que a gente tem em relação ao open banking, naturalmente a gente sempre vai ter a prerrogativa de trazer isso para a regulação”, afirmou Damaso.

Questionado sobre as novas entidades em virtude da terceira fase do open banking, que envolve iniciador de pagamento e encaminhador de proposta de crédito, o diretor do BC afirmou que uma instrução adicional acerca do tema será publicada posteriormente, contendo o detalhamento acerca desses players. 

“Vai vir ainda uma instrução adicional, que vai ficar claro quem vão ser esses players, já está no forno. A gente está concluindo essa regulamentação e vamos decidir se isso ainda vai ser via consulta pública ou se vai direto. Muito provavelmente, um período de consulta pública é bem-vindo”, explicou Damaso. 

Entenda as etapas do Open Banking, desenhadas pelo BC:

A disciplina do Open Banking será implementada de forma faseada, iniciando em 30 de novembro de 2020 e concluindo em outubro de 2021, com base nas seguintes fases:

Fase I: acesso ao público a dados de instituições participantes do Open Banking sobre canais de atendimento e produtos e serviços relacionados com contas de depósito à vista ou de poupança, contas de pagamento ou operações de crédito;

Fase II: compartilhamento entre instituições participantes de informações de cadastro de clientes e de representantes, bem como de dados de transações dos clientes acerca dos produtos e serviços relacionados na Fase I;

Fase III: compartilhamento do serviço de iniciação de transação de pagamento entre instituições participantes, bem como do do serviço de encaminhamento de proposta de operação crédito entre instituição financeiras e correspondentes no País eventualmente contratados para essa finalidade; e

Fase IV: expansão do escopo de dados para abranger, entre outros, operações de câmbio, investimentos, seguros e previdência complementar aberta, tanto no que diz aos dados acessíveis ao público quanto aos dados de transações compartilhados entre instituições participantes.

* Com informações da Reuters



BC: Pagamento pelo WhatsApp terá de provar proteção aos dados

"Um arranjo que começa com 120 milhões de clientes não é pequeno", explicou Roberto Campos Neto.

Empresas nacionais reclamam da burocracia e deixam de investir em Inovação

Em pesquisa do Instituto Eldorado, empresas alegam que os instrumentos de fomento são burocráticos ou desconhecidos. Mais da metade das companhias ouvidas assumem que estão investindo menos em novas tecnologias.

Indústria de semicondutores reage à liquidação da Ceitec

Em nota, associação nacional do setor indica “preocupação” com a medida. “Liquidação distanciará ainda mais o Brasil do conhecimento de ponta.”

OBr.Global promove bootcamps Live sobre empreendedorismo

Aceleradora, especializada em internacionalização das empresas, ensinará técnicas adotadas no Vale do Silício, nos EUA.

Política de informática foi feita para o hardware, mas deu certo com o software

Para Sílvio Meira, a estratégia que o Brasil quer desenhar para Inteligência Artificial precisa desafiar à produção nacional para trazer os resultados pretendidos.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G