Home - Convergência Digital

Interferência nas parabólicas pode reduzir espectro para 5G

Luís Osvaldo Grossmann - 08/05/2020

A garantia de convivência do 5G com a recepção das parabólicas, exigência da política pública expressa em Portaria do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, vai implicar em medidas adicionais para evitar a interferência. Entre elas, a redução do espectro disponível para a nova tecnologia, notadamente na ‘banda média’ a partir de 3,5 GHz. 

“Para garantir a recepção satelital pode ser necessário não só uma combinação de melhores filtros, mas uma definição de faixa de guarda, uma portadora menor, além de outras soluções específicas, como diminuição de potencia 5G, distanciamento, instalação de anteparos”, afirmou o presidente da Anatel, Leonardo de Morais, ao tratar do edital em evento online promovido pelo portal Tele.Síntese nesta sexta, 8/5. 

“Temos a questão de garantir a convivência e talvez os 100 MHz [de banda de guarda] precisem se tornar 120 MHz. Simulações que fizemos apontaram nesse sentido. Talvez precisemos de uma banda de guarda um pouco maior. E aí não necessariamente teremos os 400 MHz, mas 380 MHz ou alguma coisa nesse sentido”, completou. 

Além disso, uma das discussões à mesa prevê que a mencionada banda de guarda seja destinada para as aplicações privadas industriais, como demandam associações fabris e fornecedores de componentes. “Uma das críticas relacionadas à solução de mitigação é que ficou uma banda de guarda em faixa de espectro muito nobre, de 3,7 a 3,8 GHz. E uma forma de endereçar essa questão é destinar esses 100 MHz para aplicações industriais indoor, que portanto não gerariam interferência nos sistemas de TVRO. É uma agenda que está na agência.”

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

27/10/2020
Claro: 5G DSS não é marketing. É real e faz muito sentido no Brasil

27/10/2020
Feninfra diz que sem desoneração da folha país perde R$ 2 bilhões e 500 mil empregos em Telecom

26/10/2020
Americanet inicia testes de rede 5G em Pindamonhangaba (SP)

26/10/2020
Governo da Itália usa poder de veto e manda empresa cancelar acordo com Huawei

26/10/2020
OCDE defende Agência reguladora unindo Anatel, Ancine e Ministério

26/10/2020
STJ confirma condenação da Telefônica por falta de cartões telefônicos

23/10/2020
Assespro: Marco Legal de Startups possui falhas graves

23/10/2020
Polícia Federal quer usar drones no combate aos crimes eleitorais.

23/10/2020
Receita Federal alerta para fraudes em sites que simulam Sistema de Leilão Eletrônico

20/10/2020
Oi entra na disputa do mercado de marketplaces para consolidar marca de consumo

Destaques
Destaques

Conexão no campo pode render até R$ 50 bilhões em dois anos

Estudo do Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA) revela que, hoje, faltam quase 15 mil antenas e torres para ofertar o serviço necessário para a digitalização do agronegócio. Os números foram revelados no Painel Telebrasil 2020.

Vitor Menezes, Minicom: Vamos brigar por um leilão 5G não arrecadatório

O Ministério das Comunicações sinalizou às operadoras que trabalha para convencer os colegas de Esplanada a concentrar os valores envolvidos no leilão do 5G em compromissos de cobertura, minimizando o preço a ser pago ao Estado, afirmou o secretário de Telecomunicações, Vitor Menezes, ao participar do Painel Telebrasil 2020.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Internet 5G traz disrupção para Telecomunicações até no modelo de negócio

Por Eduardo Grizendi*

Na RNP, estabelecemos um objetivo estratégico ambicioso – o de prover uma ciberinfraestrutura, segura, de alto desempenho e disponibilidade e, ao mesmo tempo, ubíqua, onipresente, em qualquer lugar e a qualquer hora, para nossas comunidades de educação, pesquisa e inovação.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site