Clicky

Convergência Digital - Home

Covid-19 vai derrubar até 30% dos ganhos do uso da nuvem no 5G

Convergência Digital
Convergência Digital - 08/04/2020

As novas implementações tecnológicas em telecomunicações sofrem com a pandemia da Covid-19. A estagnação macroeconômica reduz  as vendas corporativas e já há a projeção de uma redução de 20% a 30% nas receitas de serviços de nuvem pelo impacto em ofertas digitais e na difusão de implementações de 5G. 

É o que aponta um relatório divulgado pela ABI Reseach e como resultado, o que antes era projetado na ordem de US$ 9 bilhões em receitas em 2020 deverá sofrer efeito significativo e perder entre US$ 2 bilhões e US$ 3  bilhões no curto prazo. 

“O mercado 5G estava crescendo mais rapidamente do que o antecipado e 2020 era esperado como ponto central da implantação comercial do 5G Standalone (SA) nas redes das operadoras de telecomunicações. Mas essa expectativa deve levar algum tempo para se materializar. Isso se deve, em parte, ao fato de que a Covid-19 vai quase certamente suspender testes e verificações de performance. No curto prazo, a indústria não terá alternativa a não ser proteger as receitas existentes”, diz a análise. 

A aposta, assim, deverá ser em projetos de pequena escala em busca de eficiência operacional sem o compromisso de aportes novos em redes 5G ou em software inteligentes. “No longo prazo, o abalo com a Covid-19 servirá de trampolim para alternativas de crescimento.”

Segundo a consultoria, não há dúvidas que a implantação do 5G e as soluções nativas de nuvem trazem a indústria a um novo limiar. Mas cedo ou tarde as empresas de telecom vão perceber que precisam preservar os negócios se quiserem se manter nessa fronteira. “Prosperidade e inovação vão ser baseadas em novas incursões sobre essa nova fronteira de maneira vertical ou serão viabilizadas por capacidades de alta complementaridade horizontal”, conclui. 


Destaques
Destaques

Multinuvem do Serpro vai concorrer com a do Ministério da Economia

Estruturada a parceria com AWS, Huawei e Azure, da Microsoft, estatal passa a disputar contratos com órgãos públicos, em briga direta com nuvem licitada e gerida pela Secretaria de Governo Digital.

Por que se tornar uma empresa data-driven?

Data-driven ou orientada a dados. É esse o novo lema das companhias que, cada vez mais, estão armazenando e analisando dados em busca de insights de negócios. Mas o que as empresas devem fazer para abraçarem os dados de forma a promover benefícios estruturais e longevos? A resposta não é simples.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Serviços SaaS, proteção de dados e a LGPD

Por Eder Miranda*

Ter um plano abrangente de proteção adicional de dados para as plataformas SaaS é vital para os negócios, uma vez que as empresas não podem abrir sem ter o controle sobre o que está sendo protegido e sobre a maneira como isso está sendo feito pelos fornecedores de software como serviço.

Cloud é bom, mas quem gerencia?

Edmilson Santana*

Se a nuvem soluciona problemas de um lado, de outro sua operação demanda a formação de um time capaz de traduzir demandas de negócio em continuidade operacional, e isso de forma ágil, produtiva e consistente.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site