Clicky

Home - Convergência Digital

Um em cada três smartphones no Brasil está 'infectado' por malware

Convergência Digital - 08/04/2020

Cerca de um terço dos smartphones com Android no Brasil, algo em torno de 23 milhões de aparelhos, estão infectados com malware responsáveis por fraudes em grande escala. Esses malware estão escondidos em vários aplicativos populares e cometem fraudes que miram anunciantes, operadoras e consumidores, revela estudo da empresa Upstream.

São aplicativos que parecem se comportar normalmente na tela do smartphone, mas disfarçadamente clicam em links e anúncios, inscrevem usuários em serviços e consomem grande volume de dados em planos pré-pagos. Não apenas anunciantes pagam desenvolvedores por cliques falsos, esses apps fraudulentos coletam dados pessoais sem qualquer sinal visível.

Segundo a Upstream, há trabalhos em curso com várias operadoras no Brasil na tentativa de proteger consumidores e negócios desse tipo de fraude. A empresa monitora e bloqueia transações suspeitas e segundo o relatório de 2019, isso resultou em quase 1 bilhão de transações em aparelhos com Android, com sucesso em bloquear 91% delas.

Com base nesses resultados, os apps mais ofensores do ano passado foram:

1 - 4Shared: 166 milhões de transações bloqueadas

Esse aplicativo permite armazemento e compartilhamento de arquivos. Às escondidas, no entanto, também gera anúncios e cria falsos cliques, visualizações e até compras. Chegou a ser removido da Google Play, mas já retornou.

2 - Weather Forecast: 45 milhões de transações bloqueadas

O aplicativo World Weather Accurate Radar faz mais que previsão do tempo. Também abusa e coleta dados de identidade do usuário e clica em centenas de anúncios. Ele também continua disponível na Google Play.

3 – VidMate: 43 milhões de transações bloqueadas

Fraudadores reconhecem que usuários de smartphones assistem e compartilham vídeos e assim escondem atividades maliciosas. VidMate, baixado mais de 500 milhões de vezes, também gera falsos cliques, compras e downloads de outros apps suspeitos sem o conhecimento do usuário. Ele foi removido da Google Play.

4 – Videoder: 36 milhões de transações bloqueadas

Esse aplicativo permite download de vídeos em WiFi grátis para serem assistidos mais tarde. Mas às escondidas realiza atividades maliciosas semelhantes às do VidMate.

5 – Snaptube: 32 milhões de transações bloqueadas

Esse app infectou 4,4 milhões de aparelhos e gerou mais de 70 milhões de transações fraudulentas, com cerca de metade delas originadas no Brasil. Embora tenha sido revelado em outubro de 2019, continua disponível.

Segundo dados da Upstream, cuja plataforma roda em 31 operadoras móveis em 20 países, 93% das transações móveis foram bloqueadas globalmente como fraudulentas em 2019.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

03/12/2020
WhatsApp baniu 360 mil contas por disparo de mensagens em massa no período eleitoral

02/12/2020
Ministério da Saúde tem nova falha e vaza dados de mais de 200 milhões de brasileiros

01/12/2020
Embraer leva cinco dias para divulgar à CVM um ataque cibernético

30/11/2020
MP apreende pendrives, tablets e smartphones de hackers que teriam atacado o TSE

30/11/2020
Ataque hacker: TRF da 1ª região reestabelece parte dos sistemas de TI

29/11/2020
TSE descarta ataque hacker bem-sucedido no 2º turno

27/11/2020
Idec vai à justiça contra vazamento de dados no ministério da Saúde

27/11/2020
Hackers miram o Tribunal Regional Federal da 1ª Região

26/11/2020
Quem vai pagar a conta do vazamento de dados de 16 milhões de brasileiros?

26/11/2020
Senado volta a pedir penas mais duras aos crimes cometidos pela Internet

Destaques
Destaques

Qualcomm e Nokia: Ondas milimétricas são a mudança do modelo de negócio no 5G

Ondas milimétricas não apenas uma banda a mais para o 5G, mas são a base das novas aplicações com baixíssima latência, diz Francisco Soares, da Qualcomm. Wilson Cardoso, da Nokia, adverte que, até 2025, serão instaladas 200 mil ERBs para atender verticais específicas como a indústria 4.0.

Anatel: Cibersegurança em Telecom une teles e os mais de 10 mil prestadores de serviços SCM

"Não há como fazer obrigação em cibersegurança. O ambiente tem de ser cooperativo e não é apenas com as teles. São mais de 10 mil pequenos prestadores de serviços e eles têm de estar ativos. Temos de ter uma coordenação entre todos os atores", disse o superintendente de Planejamento e Regulamentação da Anatel, Nilo Pasquali.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

5G precisa ser aberto e transparente

Por Fabio Rua

É possível afirmar que estamos vivendo um momento extremamente crucial na história da tecnologia, ainda mais após todo o processo de aceleração digital e transformação exigidos durante o período da pandemia de COVID-19. As decisões que tomarmos hoje sobre como as redes 5G serão construídas em nosso país terão um impacto sem precedentes na transformação dos negócios.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site