Clicky

GOVERNO

Dataprev processou 33 bilhões de registros para aplicativo da Caixa

Ana Paula Lobo* ... 07/04/2020 ... Convergência Digital

A partir desta terça-feira, 7/04, de 15 milhões a 20 milhões de trabalhadores informais não inscritos em programas sociais podem baixar o aplicativo CAIXA|Auxílio Emergencial que permitirá o cadastramento para receberem a renda básica emergencial. O auxílio - de R$ 600 ou de R$ 1,2 mil para mães solteiras - será pago por pelo menos três meses para compensar a perda de renda decorrente da pandemia de coronavírus.

Deverão cadastrar-se trabalhadores autônomos não inscritos no Cadastro Único de Programas Sociais (CadÚnico) e que não pagam nenhuma contribuição para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Quem não sabe se está no CadÚnico pode conferir a situação ao digitar o número do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) no aplicativo.

Quem contribui para a Previdência como autônomo ou como microempreendedor individual (MEI) já teve o nome processado pela Caixa Econômica e está automaticamente apto a receber o benefício emergencial. O presidente da Dataprev, Gustavo Canuto, ao participar do lançamento do aplicativo, revelou que a estatal cruzou bases de dados de diferentes órgãos do governo, entre elas, previdência e trabalho.

"Foram processados 33 bilhões de registros e para isso foram mais de 14 horas de processamento nos servidores dos data centers da Dataprev", contou o presidente da estatal, Gustavo Canuto. De acordo com o governo, de 15 milhões a 20 milhões de pessoas precisam ser identificadas e o serão por conta do uso do aplicativo, uma vez que não estão em nenhuma base oficial do governo.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, lembrou que o aplicativo cria 30 milhões de contas digitais para atender quem é, hoje, desbancarizado. "A conta digital vai permitir o pagamento de contas para que se façam transferências digitais. Tudo de graça para que não precisem ir às lotéricas ou às agências da caixa para receber o dinheiro físico", revelou.

O governo fechou uma parceria com a Febraban para que quem tenha conta corrente em banco privado - e não na Caixa e no Banco do Brasil - receba o auxílio e esse dinheiro não seja usado para descontar, por exemplo, uma dívida do cheque especial. O acesso ao aplicativo Caixa/Auxílio Emergencial poderá ser feito sem desconto de franquia depois de um acerto com as operadoras de telecomunicações.

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, anunciou ainda que a Abin e a Polícia Federal montaram uma força-tarefa para evitar as fraudes cibernéticas. "Diversos sites falsos já foram derrubados e muitos outros o serão. A Polícia Federal montou uma operação para caçar os fraudadores", disse. A Caixa também teve a sua segurança reforçada para evitar os ataques hackers. 

O governo adianta ainda que as pessoas que não estavam no Cadastro Único até 20/03, mas que têm direito ao auxílio, poderão se cadastrar também pelo aplicativo CAIXA|Auxílio Emergencial. A Caixa disponibilizou ainda a central 111 para tirar dúvidas sobre como fazer o cadastramento. Apenas no momento do seu lançamento, o aplicativo já tinha sido baixado por mais de 600 mil pessoas. O endereço do site web é: https://auxilio.caixa.gov.br/#/inicio

*Com informações da Agência Brasil



Liminar suspende processo de liquidação do Ceitec pelo governo Bolsonaro

Justiça Federal no Rio Grande do Sul acatou pleito em ação civil pública e determinou a suspensão da assembleia que nomearia liquidante da estatal do chip, localizada em Porto Alegre.

Bolsonaro recoloca Jarbas Valente no comando da Telebras

Ex-conselheiro e vice-presidente da Anatel deixou a estatal para ser substituído por Waldemar Gonçalves Ortunho Junior, em abril de 2019, mas, agora, retoma à companhia com a nomeação do coronel para a direção da Agência Nacional de Proteção de Dados.

BNDES vai pagar R$ 8 milhões para preparar a venda do Serpro e da Dataprev

Consórcio vencedor reúne Accenture, a multinacional de RP Burson-Marsteller e o escritório Machado, Meyer, Sendacz, Opice e Falcão Advogados.

Governo alega prejuízo de R$ 10 bi e vai ao STF contra desoneração da folha

Benefício, que acabaria este ano, foi prorrogado para dezembro de 2021, por decisão do Congresso Nacional, que derrubou o veto do governo. A desoneração da folha é considerada essencial para as empresas de TI e Telecom. Governo diz que medida é inconstitucional.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G