Home - Convergência Digital

Whatsapp volta a limitar encaminhamento de mensagens para evitar ‘fake news’

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital - 07/04/2020

O WhatsApp anunciou nesta terça, 7/4, uma nova medida na tentativa de diminuir a disseminação de informações falsas na plataforma. O app adotou um novo limite de forma que mensagens encaminhadas com frequência só possam ser encaminhadas para uma conversa por vez. Esse limite entra em vigor assim que uma mensagem foi encaminhada anteriormente cinco vezes ou mais.

“Para tornar o WhatsApp ainda mais pessoal, criamos o conceito de mensagensencaminhadas muitas vezes e adicionamos uma etiqueta de setas duplas para indicar que essas mensagens não foram criadas pelo contato que as enviou”, avisa o app, em seu blog. 

“Geralmente, as mensagens encaminhadas muitas vezes podem conter informações falsas e não são tão pessoais quanto as mensagens típicas enviadas pelos seus contatos no WhatsApp. Agora, atualizamos o limite de encaminhamento para que essas mensagens só possam ser encaminhadas para uma conversa por vez”, completa. 

Diz ainda o aviso da plataforma que “muitos usuários encaminham informações úteis, vídeos divertidos, pensamentos ou orações que têm um significado especial e pessoal para seus contatos (...), entretanto, temos visto um aumento significante na quantidade de mensagens encaminhadas que, de acordo com nossos usuários, podem contribuir para a disseminação de boatos e informações falsas”. 

Além disso, a versão beta mais recente contém uma maneira de permitir que os usuários descubram mais informações sobre mensagens encaminhadas. Essa ideia envolve a exibição de um ícone de lupa ao lado dessas mensagens frequentemente encaminhadas, dando aos usuários a opção de realizar uma pesquisa na web, na qual podem encontrar resultados de notícias ou outras fontes de informação. A verificação dessas mensagens antes do encaminhamento pode ajudar a reduzir a disseminação de rumores. Este recurso está atualmente em teste e compartilharemos atualizações sobre as próximas etapas.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

20/05/2020
PGR é contra bloqueio nacional do WhatsApp, mas defende backdoor

12/05/2020
Justiça do DF condena Facebook a indenizar vítimas de golpe pelo WhatsApp

27/04/2020
Novo limite do Whatsapp reduz mensagens virais em 70%

22/04/2020
Facebook vai usar WhatsApp para pagamentos em pequenos varejistas

07/04/2020
Whatsapp volta a limitar encaminhamento de mensagens para evitar ‘fake news’

02/04/2020
TJ de São Paulo libera intimação pelo WhatsApp

13/03/2020
TRT descarta indenização trabalhista em pedido de demissão pelo WhatsApp

06/03/2020
Justiça manda Facebook restaurar contas de WhatsApp banidas em Alagoas

29/01/2020
Justiça manda TIM indenizar clientes por golpe no WhatsApp

23/10/2019
Google, Facebook, Twitter e WhatsApp aderem a programa anti fake news do TSE

Destaques
Destaques

Leilão 5G: TIM e Claro defendem adiamento. Vivo adverte para momento incerto

TIM e Claro se posicionam claramente contra a realização do leilão ainda em 2020. A Vivo se mostra mais cautelosa, mas admite que está tudo muito nebuloso por conta da economia e da pandemia de Covid-19. Todas asseguram que o momento ainda é de muito investimento no 4G e no 4,5G.

Operadoras pedem que edital do 5G traga compromissos na nova tecnologia

Mas Anatel lembra que reduzir preço das frequências para exigir investimentos que o mercado já faria naturalmente não faz sentido na licitação. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Para além da guerra da saúde pública, não adiem o leilão do 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

O setor de telecomunicações tem suportado a sobrecarga derivada da pandemia de Covid-19. Mas, reforcem essas redes com tecnologia mais avançada para prover serviços de baixa latência. Dessa forma, não se postergue o leilão das redes ditas de quinta geração (5G) e atenção à segurança cibernética.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site