GOVERNO » Compras Governamentais

Pregão eletrônico passa a ser obrigatório em 1,6 mil municípios

Convergência Digital* ... 07/04/2020 ... Convergência Digital

Mais 1.640 municípios passam a utilizar, obrigatoriamente, a modalidade pregão eletrônico em suas aquisições de bens e serviços decorrentes de recursos recebidos via Transferências Voluntárias da União. A medida abrange cidades de todo o país com população entre 15 mil e 50 mil habitantes. As transferências voluntárias para esses municípios movimentaram mais de R$ 1,5 bilhão em 2019.

“Até então, o pregão eletrônico era preferencial, mas não obrigatório”, explica Cristiano Heckert, secretário de Gestão do Ministério da Economia. “Com a utilização estendida da modalidade, há maior economicidade, pois a concorrência aumenta ao permitir a participação de empresas de todo o país. Mais que isso, esse sistema traz mais transparência por meio dos registros de cada operação, evitando a corrupção em processos licitatórios.”

Entre outubro de 2019 e abril deste ano, 361 municípios aderiram ao Sistema Integrado de Administração de Serviços Gerais (Siasg) de forma gratuita. Esse sistema permite as operações de compras governamentais dos órgãos integrantes da Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional.

A partir de agora, só serão admitidos pregões presenciais de licitações caso fique comprovada a inviabilidade técnica ou a desvantagem para a Administração da realização da forma eletrônica.

Os órgãos e entidades poderão utilizar gratuitamente o Sistema de Compras do governo federal, disponível no site do Comprasnet, mediante celebração de termo de acesso com o Ministério da Economia.

Outra possibilidade é a utilização de sistemas próprios ou sistemas disponíveis no mercado, desde que estejam de acordo com as regras dispostas no Decreto nº 10.024/19. 

* Com informações do ME


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

PL quer adiar venda do Serpro, Dataprev, Telebras e outras estatais

Proposta, que está em análise na Câmara dos Deputados, ressalta que o 'períodos de crise são um excelente momento para quem compra e péssimo para quem vende'. Privatizações estão agendadas para junho de 2021. Ideia é adiar as vendas para 12 meses após o fim da pandemia de Covid-19.

STF derruba MP que mandava teles repassarem dados de clientes ao IBGE

Prevaleceu o entendimento da relatora, Rosa Weber, de que a ordem de recolher nome, endereço e telefone de todos os clientes de telefonia fixa e móvel configura medida excessiva, sem finalidade delimitada ou garantias suficientes. 

Governo lança guia de melhores práticas de adequação à LGPD

Manual ressalta que o compartilhamento de informações na administração é possível, mas precisa respeitar os princípios da Lei Geral de Proteção de Dados. 

Toffoli pede vista e adia julgamento sobre bitributação do software no STF

Suspensão do julgamento agrada o setor de tecnologia da informação, que defende uma análise conjunta das diferentes ações sobre o mesmo tema, uma vez que a primeira delas já tem mais de 20 anos. 

“Sem clima”, governo adia privatização de Serpro, Dataprev e Telebras

Secretário de desestatização, José Salim Mattar, por conta do coronavírus, empurrou toda a agenda de venda de ativos. Por enquanto, estatais de TI ficaram para o fim de 2021. A Telebras foi para 2022. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G