Justiça Federal de SP manda Anatel impedir corte de telefonia durante pandemia

Luís Osvaldo Grossmann ... 03/04/2020 ... Convergência Digital

Sem surpresas diante da crescente pressão sobre os “serviços essenciais”, saiu uma decisão da Justiça Federal, no caso 12ª Vara Cível Federal de São Paulo, para impedir o corte dos serviços de água, gás, energia elétrica e telefonia durante a pandemia de coronavírus, mesmo em caso de falta de pagamento. 

A ação não é diretamente contra as fornecedoras dos serviços, mas sim contra as agências reguladoras: Arsesp, ANP, Aneel e Anatel. E sustenta que por conta do isolamento social como medida protetiva à propagação da Covid-19, com impactos econômicos, os serviços devem ser mantidos. 

A dúvida é se a decisão, como proferida, tem como ser cumprida. A ordem expedida é para que as agências reguladoras mencionadas “se abstenham de suspender ou interromper o fornecimento de serviços essenciais”. Mas como apontou um integrante da Anatel ao Convergência Digital, não são as agências que fornecem os serviços, mas empresas. Nesse sentido, a decisão como posta não tem como ser efetivamente cumprida. 

Segundo a juíza Natalia Luchini, “a pandemia de Covid-19 é fato público e notório bem como o Estado de Calamidade Pública”. Ela lembra que dentre as medidas tomadas “está a denominada ‘quarentena’, ou isolamento/distanciamento social, cuja repercussão não se limita às relações familiares e sociais, mas atinge a atividade econômica de vários setores do mercado.”

Como sustenta a magistrada, “estamos em período excepcional do ponto de vista socioeconômico”, no qual “contribuintes se encontram com o livre trânsito comprometido, o que os impede de exercer seus trabalhos e, portanto, auferir renda para custear suas despesas essenciais”, e que “o próprio deslocamento às agências bancárias está dificultado” e ainda “que nem toda a população dispõe de acesso a internet para fazer seus pagamentos online”. 

Para a juíza, “não há dúvidas de que o fornecimento de luz, água, telefone e gás dispensa explanação quanto ao seu caráter essencial, inclusive, a suspensão desses serviços pode agravar a pandemia ou mesmo tornar inviável medidas como o distanciamento social, cabendo aos órgãos competentes assegurar o seu fornecimento em caráter geral, diante da situação pela qual passa o País”. 

Daí a conclusão: “Posto isso, Defiro o pedido de tutela em relação às rés 1) Agência Nacional de Telecomunicações - Anatel, 2) Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo – Arseps e 3) Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP, determinando que se abstenham de suspender ou interromper o fornecimento de serviços essenciais de telefonia, água e gás, respectivamente, aos consumidores residenciais ao longo do período de emergência de saúde relativa ao Covid-19, e obrigação de fazer no sentido de restabelecer o fornecimento de energia elétrica para os consumidores residenciais que tiverem sofrido corte por inadimplência, sob pena de multa pecuniária a ser fixada por este juízo pelo descumprimento da ordem.” A multa fixada é de R$ 10 mil “por consumidor afetado por dia de descumprimento da ordem”. A Aneel ficou meio que de fora porque já tem uma resolução que proíbe o corte de energia por 90 dias. 


Internet Móvel 3G 4G
Edital do 5G vai ao mercado com ou sem venda da Oi Móvel

"Não vou submeter um processo de política pública, como é o edital 5G, a uma fusão e aquisição", afirmou o presidente da Anatel, Leonardo de Morais.

Anatel recria 10 colegiados após extinção por Decreto presidencial

Uso do Espectro, Defesa dos Usuários, Prestadoras de Pequeno Porte, Aferição da Qualidade, Ofertas de Atacado, Acompanhamento de Redes são alguns dos grupos reestabelecidos pela agência. 

Reclamações contra oferta de banda larga crescem 40% com a quarentena da Covid-19

Queixas na Anatel cresceram especialmente a partir de março. No conjunto dos serviços, agência recebeu 1,52 milhão de reclamações entre janeiro e junho. Também houve um aumento de 20% com relação à telefonia móvel.

Oi quer corte de dívida com Anatel por desequilíbrio na concessão

“Tem que fazer um PGMU mais leve para que a gente possa respirar”, defende a diretora regulatória, Adriana Costa. Anatel esclarece que concessão não é sinônimo de lucro garantido. 

Huawei defende reserva de 500 MHz da faixa de 6GHz para as teles

Para o diretor da Huawei Brasil, Carlos Lauria, a reserva técnica é a melhor garantia para aguardar a evolução da tecnologia. "Se der tudo agora, não tem como voltar atrás depois", observa o executivo.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G