GOVERNO » Compras Governamentais

TCU suspende contrato de R$ 12 milhões, sem licitação, do Serpro com PwC

Luís Osvaldo Grossmann ... 20/03/2020 ... Convergência Digital

O Tribunal de Contas da União determinou medida cautelar para suspender um contrato emergencial entre o Serpro e a consultoria PwC, no valor de R$ 12.317.301, assinado sem licitação. 

Segundo a análise da Secretaria de Fiscalização de Tecnologia da Informação (Sefti), acatada e assimilada pelo relator, ministro Bruno Dantas, o contrato para avaliar 10 sistemas da estatal, por conta de uma falha no Portal Único do Sistema Integrado de Comércio Exterior, tem três problemas: 

1) o Serpro, como instituição especializada em tecnologia da informação e desenvolvedora de sistemas críticos para a Administração Pública, possuir a necessária expertise para realizar a análise considerada emergencial; 

2) o lapso decorrido entre a ocorrência da falha no sistema Pucomex DU-E (25/11/2019) e a celebração do Contrato 73.353/2020 (4/2/2020) denota, em princípio, inexistência de emergência premente que prescinda do regular procedimento licitatório; e

3) o problema ocorreu isoladamente em sistema único e com causa técnica específica, sem evidências de que o problema poderia se estender a outros sistemas; mas ainda assim a análise emergencial é para 10 sistemas da estatal.

Adicionalmente, o valor contratado, R$ 12,31 milhões, traz, segundo a Sefti, indícios de sobrepreço. Um deles estaria no fato de que o Banco Central realizou licitação muito semelhante a um dos itens contratuais, avaliações de resiliência cibernética e risco cibernético, mas por preço bem menor. E com a mesma PwC. 

“Enquanto a própria empresa PwC sagrou-se vencedora do PE 55/2019 do BCB com proposta no valor de R$ 240 mil, frise-se, para execução do objeto por um período de doze meses, ela se propõe a realizar a atividade “Cyber - Processos e procedimentos (ISF) + Segurança cibernética (CIS Top20) + Arquitetura e tecnologia” no âmbito do contrato firmado com o Serpro, por 3,63 meses, no valor de R$ 676,4 mil”. 

Finalmente, o relatório aponta que participou das tratativas e avalizou a contratação por dispensa de licitação o Diretor Jurídico e de Governança e Gestão, Gileno Gurjão Barreto, que seria ex-funcionário da consultoria vencedora, conforme informação primeiramente divulgada pelo blog Capital Digital. O diretor teria atuado na PwC de 1991 a 1999 e de 2002 a 2010. 

“Num exame preliminar, não verifico as razões para que tal contratação tenha sido realizada por dispensa de licitação, fundamentada em situação de emergência. Há dúvidas, até mesmo, se a contratação seria realmente necessária”, concluiu o relator Bruno Dantas. O voto, pela suspensão liminar do contrato, foi aprovado por unanimidade pelo pleno do TCU. 


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Salim Mattar e Paulo Uebel deixam o Ministério da Economia

Anúncio foi feito pelo próprio ministro Paulo Guedes. Segundo ele, José Salim Mattar está insatisfeito com o ritmo das desestatizações -em TIC, havia a previsão das vendas do Serpro, Dataprev, Telebras e CEITEC. Já Paulo Uebel, à frente da transformação digital do goveno não teria gostado de a reforma administrativa ser adiada para 2021. 

Serviços digitalizados evitaram 65 milhões de visitas a órgãos públicos

A conta é da Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia, que considera atos inteiramente online anteriormente realizados somente com presença física do requerente. 

Suspeita de fraude faz Caixa bloquear 1,3 milhão de CPFs no Auxílio Emergencial

Total de contas bloqueadas responde por cerca de 5% dos pedidos aprovados. Para reativar o benefício, o dono da conta bloqueada terá de ir pessoalmente a uma agência e provar a sua identidade.

ABES: Software cobra transparência do ministério da Economia

Para o presidente da Associação Brasileira de Empresas de Software, Rodolfo Fücher, o veto à prorrogação da desoneração da folha chega em um momento onde a inadimplência aumenta e da falta de crédito.País caiu para 10º no ranking mundial de software.

Bolsonaro surpreende e veta prorrogação da desoneração da folha

Ao sancionar a Lei 14.020/20, presidente descartou manter o benefício até o fim de 2021 para 17 setores, inclusive TI e cal center. “Dispositivos acabam por acarretar renúncia de receita”, anotou na mensagem de veto.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G