Empresas ainda temem impacto dos custos da interferência do 5G nas parabólicas

Luís Osvaldo Grossmann ... 12/03/2020 ... Convergência Digital

A forma e o custo da ‘limpeza’ da Banda C estendida, de forma que o 5G possa contar com 100 MHz adicionais na faixa intermediária, permitindo a venda de todo o naco entre 3,4 MHz e 3,7 MHz, é ainda uma das principais preocupações com o edital de espectro para implantação da nova tecnologia. 

As operadoras de satélite sustentam que essa mudança foi incluída de última hora na proposta de edital apresentada pela Anatel. Mas mesmo as teles móveis, principais interessadas nesse ajuste, entendem que ainda não está devidamente explicitado como se dará, e especialmente quanto vai custar, esse processo.

“A proposta afeta serviços já oferecidos em variada gama de serviços e isso exige um debate mais completo. É imperativo que se avalie os impactos diretos e indiretos pelo uso da faixa de 3,6 GHz a 3,7 GHz”, apontou o presidente do Sindisat, Luiz Otavio Prates, durante a audiência pública sobre o edital 5G realizada pela Anatel nesta quinta, 12/3. 

Esses 100 MHz adicionais – para além da intenção original de licitar as faixas entre 3,4 a 3,6 GHz – atendem a demanda das operadoras por espectro na principal fatia destinada para a nova tecnologia. Mas isso exige que as operadoras de satélite sejam deslocadas e, consequentemente, indenizadas. 

“Diversos aspectos levantam preocupações. O setor foi pego de surpresa pela decisão repentina de ampliar 100 MHz, em que há questões técnicas, jurídicas e econômicas que devem ser analisadas”, emendou a representante da Hispamar, Karina Gadelha.

Para as teles, além da indenização é preciso que fique antecipadamente esclarecido o tamanho do custo envolvido com a mitigação das interferências entre o uso da Banda C estendida pelo 5G e a recepção das antenas parabólicas. “Tudo isso precisa estar corretamente calculado e como parte integrante do preço mínimo [das faixas] para garantir previsibilidade”, destacou o diretor do Sinditelebrasil, Sérgio Kern. 

Nesse contexto, a interferência foi um dos motivos para os vários e repetidos pedidos para que a Anatel prorrogue o período de consulta pública, dobrando o prazo atual de 45 dias que se encerra em 2/4. Em particular, porque o relatório final dos testes de interferência só será apresentado em 24/4. 

Embora os vários pedidos de prorrogação do prazo devam ser avaliados pelo Conselho Diretor da agência nas próximas semanas, a área técnica sustenta que haverá resultados já disponíveis para o mercado. “Temos testes que serão realizados para receptores domiciliares e profissionais e teremos resultados parciais ao longo do tempo. Até o fim do mês já teremos resultados parciais que poderão ser usados”, afirmou o superintendente de outorga e recursos à prestação, Vinicius Caram. 


Internet Móvel 3G 4G
Lei de inovação de Florianopólis bancou case brasileiro de rastreamento da Covid-19

Pandemia forçou spinoff de startup brasileira de turismo e criação do Smart Track. “Enquanto Google e Apple pensavam em desenvolver, nós já tínhamos sistema operando. Somos a única plataforma mundial que faz rastreamento sem geolocalizacao”, diz a CEO Jucelha Carvalho.

Anatel recria 10 colegiados após extinção por Decreto presidencial

Uso do Espectro, Defesa dos Usuários, Prestadoras de Pequeno Porte, Aferição da Qualidade, Ofertas de Atacado, Acompanhamento de Redes são alguns dos grupos reestabelecidos pela agência. 

Reclamações contra oferta de banda larga crescem 40% com a quarentena da Covid-19

Queixas na Anatel cresceram especialmente a partir de março. No conjunto dos serviços, agência recebeu 1,52 milhão de reclamações entre janeiro e junho. Também houve um aumento de 20% com relação à telefonia móvel.

Oi quer corte de dívida com Anatel por desequilíbrio na concessão

“Tem que fazer um PGMU mais leve para que a gente possa respirar”, defende a diretora regulatória, Adriana Costa. Anatel esclarece que concessão não é sinônimo de lucro garantido. 

Huawei defende reserva de 500 MHz da faixa de 6GHz para as teles

Para o diretor da Huawei Brasil, Carlos Lauria, a reserva técnica é a melhor garantia para aguardar a evolução da tecnologia. "Se der tudo agora, não tem como voltar atrás depois", observa o executivo.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G