Home - Convergência Digital

Anatel autoriza compartilhamento de frequências entre Claro e Nextel

Ana Paula Lobo* - 09/03/2020

Por meio de circuito deliberativo, a Anatel aprovou o compartilhamento de redes - ran sharing-   entre a Claro e a Nextel na forma da regulamentação, no intuito de viabilizar a gradual e necessária integração técnica dessas redes de telecomunicações, muito embora, para todos os fins de direito, cada Parte permaneça integralmente responsável pela operação de sua respectiva rede móvel, até que ocorra a efetiva eliminação da sobreposição de Termos do SMP.

O prazo de vigência do Contrato de RAN Sharing foi firmado em 18 (dezoito) meses, em conformidade com o prazo fixado pela ANATEL para eliminação da sobreposição no SMP. Alegam as requerentes que, na hipótese de antes do transcurso do prazo de 18 (dezoito) meses seja efetivada a eliminação da sobreposição de outorgas do SMP. A aprovação foi publicada nesta segunda-feira, 09/03, no Diário Oficial da União. O conselho diretor da Anatel indeferiu o pedido da Telefónica de acompanhar o ran sharing, uma vez que tem contrato assinado com a Nextel.

O compartilhamento abrange todas as faixas - 2.100 Mh e 1800 Mhz para a Nextel e o outorgado à Claro - 450MHz, 700MHz, 850MHz, 900 MHz, 1.800MHz, 2.100MHz, 2.600MHz. O arranjo técnico proposto para implementação do RAN Sharing é o Gateway Core Network (GWCN), que prevê o compartilhamento de elementos de acesso na rede de rádio, inclusive de radiofrequência, além do compartilhamento de elementos do núcleo de rede das prestadoras, o Mobile Switching Centre (MSC) e o Serving GPRS Support Node (SGSN).

Ficou acertado ainda que será dado caratér sigiloso ao ran sharing, conforme pedido das operadoras - Claro e Nextel - com a justificativa de "conter informações estratégicas com características técnicas e operacionais das prestadoras".

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

10/07/2020
Claro e Banco PAN unem acesso à internet e conta digital para cliente pré-pago

08/07/2020
5G da Claro será na faixa de 2,6 GHz

02/07/2020
Depois da TIM, Vivo e Claro também são multadas em R$ 800 mil

02/07/2020
Claro traz 5G com compartilhamento de frequência para o Brasil

04/06/2020
Anatel também rejeita pedido da Claro contra acordo Vivo/TIM

30/04/2020
Anatel testa primeira conversão de multa em obrigação de serviço com a Claro

02/04/2020
Claro defende troca de streaming por TV e aumenta prazo para inadimplentes

16/03/2020
Claro e Oi anunciam medidas de liberação de WiFi e TV por causa do Coronavírus

09/03/2020
Anatel autoriza compartilhamento de frequências entre Claro e Nextel

12/02/2020
Dona da Claro também quer comprar ativos móveis da Oi

Destaques
Destaques

Venda de smartphones piratas dispara 135% no 1ºtri no Brasil

Tombo no primeiro trimestre foi de 8,7% - e chegou a 22,4% entre os aparelhos mais simples. Alta do dólar e a falta de componentes impactaram a venda dos dispositivos no país.

Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

Pesquisa da Omdia, ex-Ovum, em parceria com a Nokia, mostra que, nos próximos 15 anos, o 5G vai gerar R$ 5,5 trilhões para o País, sendo o governo beneficiado com o adicional de quase R$ 1 bilhão em receita com os serviços 5G.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site