Home - Convergência Digital

Carteira digital representou apenas 0,03% dos pagamentos recorrentes no Brasil

Convergência Digital* - 27/02/2020

O mercado dos pagamentos recorrentes cresceu 38,3% em número de transações e o método de pagamento mais utilizado foi o cartão de crédito (82%), seguido do boleto bancário (17,7%) e débito em conta, cartão de débito e carteira digital (0,03%). O levantamento - produzido pela Vindi, startup especializada em pagamentos recorrentes - contempla dados de 10,4 milhões de usuários de cartão de crédito hospedados na plataforma da Vindi, que representam 20% do total de cartões utilizados no país.

Em relação ao gasto médio dos brasileiros em datas comemorativas, em 2019, o maior número foi decorrente da comemoração do Dia dos Namorados (com ticket médio de R$173), seguido do Natal (média de R$140) e Dia dos Pais (média de R$133). A pesquisa aponta ainda que os segmentos que mais diminuíram a inadimplência foram: serviços (1º), educação (2º), clube de assinatura (3º) e fitness (4º).

As transações por adquirente - empresa que operacionaliza e efetua as transações financeiras em compras realizadas com cartão de crédito ou débito -, a Cielo (40,49%) foi a mais utilizada, seguida da Stone (23,56%), Global Payments (19,39%), Rede (9,84%) e Getnet (6,72%). Já as bandeiras de cartão mais utilizadas foram a Mastercard (58%), Visa (36,56%) e Elo (3,78%).

Retentivas de pagamento e inadimplências

Em 2019, os clientes hospedados na plataforma da Vindi recuperaram 349.859 vendas, num total de R$ 53.834.886,15. As empresas conseguiram o retorno por meio de transações via retentativa simples - novas tentativas de cobrança - (59%), e-mail (27%) e painel administrativo (5%). Em relação ao valor recuperado, a maioria veio por e-mail (44,84%), seguido da retentativa simples (40,94%) e via painel administrativo (5,4%).

De acordo com o head de Marketing da Vindi, Efrain Corleto, contar com um sistema online que oferece diversos métodos de cobrança, pode ser um grande diferencial para as empresas em relação aos concorrentes. "Ao contrário do que alguns gestores ainda pensam, adotar um sistema de cobrança online não tem um custo alto, se considerarmos todas as vantagens geradas para o negócio como a redução de inadimplência, por exemplo", afirma.

Acesse aqui o estudo completo Vindi Insights - Pagamentos Recorrentes em 2019.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

17/09/2020
Meio de pagamentos: BC barrou WhatsApp para preservar competição no longo prazo

21/08/2020
PagSeguro, da UOL, compra operação da alemã Wirecard no Brasil

14/08/2020
TOTVS parte para a briga com a Stone pelos negócios da Linx

13/08/2020
ABRANET alega risco de segurança e quer adiar adesão obrigatória ao PIX para agosto de 2021

12/08/2020
Banco Central: PIX não será uma 'TED vitaminada'

11/08/2020
Meio de pagamento: Stone compra Linx por R$ 6,4 bilhões

07/08/2020
Banco como serviço faz Stefanini comprar Logbank

03/08/2020
CCR Barcas e Visa fazem piloto de pagamento por aproximação (NFC) nas barcas do Rio

03/08/2020
Banco Central: testes não implicam autorização para transação real pelo WhatsApp

30/07/2020
Meio de pagamento: Mercado Livre e PayPal integram serviços no Brasil

Destaques
Destaques

Vitor Menezes, Minicom: Vamos brigar por um leilão 5G não arrecadatório

O Ministério das Comunicações sinalizou às operadoras que trabalha para convencer os colegas de Esplanada a concentrar os valores envolvidos no leilão do 5G em compromissos de cobertura, minimizando o preço a ser pago ao Estado, afirmou o secretário de Telecomunicações, Vitor Menezes, ao participar do Painel Telebrasil 2020.

Claro: Sem antenas, São Paulo fica fora do 5G

CEO da Claro, Paulo Cesar Teixeira, criticou a miopia de executivos que ainda insistem em colocar restrições à implantação de antenas, como acontece na cidade de São Paulo. "5G é a grande plataforma para permitir um salto econômico mais vigoroso", advertiu.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Internet 5G traz disrupção para Telecomunicações até no modelo de negócio

Por Eduardo Grizendi*

Na RNP, estabelecemos um objetivo estratégico ambicioso – o de prover uma ciberinfraestrutura, segura, de alto desempenho e disponibilidade e, ao mesmo tempo, ubíqua, onipresente, em qualquer lugar e a qualquer hora, para nossas comunidades de educação, pesquisa e inovação.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site