Home - Convergência Digital

Carteira digital representou apenas 0,03% dos pagamentos recorrentes no Brasil

Convergência Digital* - 27/02/2020

O mercado dos pagamentos recorrentes cresceu 38,3% em número de transações e o método de pagamento mais utilizado foi o cartão de crédito (82%), seguido do boleto bancário (17,7%) e débito em conta, cartão de débito e carteira digital (0,03%). O levantamento - produzido pela Vindi, startup especializada em pagamentos recorrentes - contempla dados de 10,4 milhões de usuários de cartão de crédito hospedados na plataforma da Vindi, que representam 20% do total de cartões utilizados no país.

Em relação ao gasto médio dos brasileiros em datas comemorativas, em 2019, o maior número foi decorrente da comemoração do Dia dos Namorados (com ticket médio de R$173), seguido do Natal (média de R$140) e Dia dos Pais (média de R$133). A pesquisa aponta ainda que os segmentos que mais diminuíram a inadimplência foram: serviços (1º), educação (2º), clube de assinatura (3º) e fitness (4º).

As transações por adquirente - empresa que operacionaliza e efetua as transações financeiras em compras realizadas com cartão de crédito ou débito -, a Cielo (40,49%) foi a mais utilizada, seguida da Stone (23,56%), Global Payments (19,39%), Rede (9,84%) e Getnet (6,72%). Já as bandeiras de cartão mais utilizadas foram a Mastercard (58%), Visa (36,56%) e Elo (3,78%).

Retentivas de pagamento e inadimplências

Em 2019, os clientes hospedados na plataforma da Vindi recuperaram 349.859 vendas, num total de R$ 53.834.886,15. As empresas conseguiram o retorno por meio de transações via retentativa simples - novas tentativas de cobrança - (59%), e-mail (27%) e painel administrativo (5%). Em relação ao valor recuperado, a maioria veio por e-mail (44,84%), seguido da retentativa simples (40,94%) e via painel administrativo (5,4%).

De acordo com o head de Marketing da Vindi, Efrain Corleto, contar com um sistema online que oferece diversos métodos de cobrança, pode ser um grande diferencial para as empresas em relação aos concorrentes. "Ao contrário do que alguns gestores ainda pensam, adotar um sistema de cobrança online não tem um custo alto, se considerarmos todas as vantagens geradas para o negócio como a redução de inadimplência, por exemplo", afirma.

Acesse aqui o estudo completo Vindi Insights - Pagamentos Recorrentes em 2019.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

11/08/2020
Meio de pagamento: Stone compra Linx por R$ 6,4 bilhões

07/08/2020
Banco como serviço faz Stefanini comprar Logbank

03/08/2020
CCR Barcas e Visa fazem piloto de pagamento por aproximação (NFC) nas barcas do Rio

03/08/2020
Banco Central: testes não implicam autorização para transação real pelo WhatsApp

30/07/2020
Meio de pagamento: Mercado Livre e PayPal integram serviços no Brasil

28/07/2020
Pagamento instantâneo será a 'aplicação matadora' do dinheiro vivo

16/07/2020
BC: 'Serviço de pagamento do WhatsApp tem de ser barato, aberto e seguro"

02/07/2020
BC: Pagamento pelo WhatsApp terá de provar proteção aos dados

30/06/2020
Cade revoga suspensão de parceria entre Facebook e Cielo para pagamentos por WhatsApp

22/05/2020
Banco Central: os cartões de crédito e débito vão morrer no pós-Covid-19

Destaques
Destaques

Venda de smartphones piratas dispara 135% no 1ºtri no Brasil

Tombo no primeiro trimestre foi de 8,7% - e chegou a 22,4% entre os aparelhos mais simples. Alta do dólar e a falta de componentes impactaram a venda dos dispositivos no país.

Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

Pesquisa da Omdia, ex-Ovum, em parceria com a Nokia, mostra que, nos próximos 15 anos, o 5G vai gerar R$ 5,5 trilhões para o País, sendo o governo beneficiado com o adicional de quase R$ 1 bilhão em receita com os serviços 5G.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site