Clicky

Economia: Direito de passagem para Telecom não será gratuito

Luís Osvaldo Grossmann ... 11/02/2020 ... Convergência Digital

A secretaria de Desenvolvimento de Infraestrutura do Ministério da Economia entende que será possível estipular o chamado ‘silêncio positivo’ para o licenciamento de antenas de celular por meio do Decreto que vai regulamentar a Lei das Antenas, em elaboração no governo e esperado para o primeiro trimestre deste 2020. 

Segundo explicou o secretário Diogo Mac Cord ao Convergência Digital nesta terça, 11/2, a combinação da Lei de Liberdade Econômica (Lei 13.874/19) com as prerrogativas federais sobre telecomunicações permite ao governo estipular um prazo para o licenciamento de infraestrutura pelos municípios, após o qual as licenças são automaticamente emitidas. 

“Se passar do prazo, a licença é liberada. Se depois o município entender que há algum descumprimento, pode vir a rever a licença. Mas isso não impede que o assunto venha a ser tratado nesse Decreto sobre infraestrutura no qual estamos trabalhando”, afirmou o secretário 

O mesmo Decreto também vai abordar o direito de passagem, mas pacificar a questão junto ao Ministério de Infraestrutura, particularmente em relação ao Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes (Dnit), terá algum custo, ao contrário do que esperam as operadoras de telecom. 

“Tratar isso como gratuidade não foi uma coisa realista, porque simplesmente retirou qualquer incentivo. Portanto, isso deverá ser equilibrado no Decreto”, explicou o secretário Mac Cord. Mais cedo, durante painel no seminário Políticas de Telecomunicações, promovido pelo portal Teletime, ele afirmou que “a questão do direito de passagem é uma das pautas prioritárias e na regulamentação da Lei das Antenas temos a possibilidade de entrar especificamente nesse ponto para racionalizar os investimentos”.

A Lei das Antenas (13.116/15) prevê que “não será exigida contraprestação em razão do direito de passagem” e por isso as empresas de telecomunicações sustentam que não haja pagamento. Mas o Dnit restringe essa leitura às vias urbanas – e por isso mantém cobrança que varia entre R$ 4 mil e R$ 8 mil por quilômetro, por ano, nas estradas federais. 

O mesmo Decreto vai definir outro ponto da Lei das Antenas, quando ela estipula que “a instalação, em área urbana, de infraestrutura de redes de telecomunicações de pequeno porte, conforme definido em regulamentação específica, prescindirá da emissão das licenças”. “Vamos definir o que são as antenas de pequeno porte, como é o caso das antenas do 5G, e elas não vão precisar de alvará”, completou Mac Cord. 


Internet Móvel 3G 4G
Governo e teles negociam um piloto 5G standalone

O anúncio foi feito pelo ministro das Comunicações, Fábio Faria. Segundo ele, seriam 20 pontos em todo o Brasil e outros ministérios participariam como o da Agricultura e o de Infraestrutura. "Queremos testar antes mesmo do leilão como funciona o 5G standalone. As negociações estão em andamento", disse.

Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Ganho global com Wi-Fi e Wi-Fi 6E chega a R$ 26 trilhões até 2025

Estudo destaca que o uso total da faixa de 6 GHz, com 1200 MHz para sistemas não licenciadas servirá como condutor de crescimento a taxas anuais de 150%. Também será essencial para o impulso da Internet das Coisas.

Veja mais matérias deste especial    •    Inscrição gratuita - Clique aqui

CVM cobra Telebras que anuncia renovação por 10 anos de contrato com Eletrobras

Acordo vale para o uso de fibras óticas e infraestrutura de telecomunicações com a Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A (Eletronorte) e Furnas Centrais Elétricas S/A (Furnas). Estatal teve movimentação atípica de ações.

Minicom: “Queremos o 5G standalone, que é o 5G de verdade, não um 4G plus”

Ao concluir viagem à Europa e Ásia para falar com fabricantes de equipamentos, o ministro das Comunicações, Fabio Faria, avisou que o governo também defende a exigência do release 16 do 3GPP no leilão da quinta geração. 

Claro e Vivo se isolam contra a exigência do 5G pleno

TIM, provedores regionais, pequenos prestadores e operadoras competitivas reforçaram aos parlamentares que 5G pleno não custa mais nem atrasa implementação no Brasil.

Anatel publica regras para fim das concessões de telefonia

Regulamento de Adaptação do STFC traz prazos e procedimentos para Oi, Telefônica, Claro, Algar e Sercomtel decidirem sobre a migração do regime público para privado. 




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G