Clicky

Convergência Digital - Home

Redes definidas por software ficam estratégicas com aplicações na nuvem

Convergência Digital
Por Roberta Prescott - 11/02/2020

As redes definidas por software (SDN, do inglês software-defined networking) estão cada vez mais presente nas empresas. E a maior adoção delas vai impulsionar a adoção de serviços gerenciados de rede e de segurança, segundo apontou a consultoria IDC.

Conforme explicou Luciano Saboia, gerente de pesquisa e consultoria de TIC da IDC Brasil, começou-se a falar em SDN em 2016, mas naquele ano ainda não se tinha uma visão clara do conceito. No ano passado, observou-se um amadurecimento das ofertas de SD-WAN, tanto por parte das operadoras como também dos integradores de serviços de TI.

O entendimento agora é de que as redes devem ser tão ágeis quanto as aplicações que por elas passam. “A realidade imposta é formada por políticas centralizadas, redes híbridas, seleção dinâmica do tráfego, segurança, gerenciamento e analytics – que não eram comuns a esse tema”, disse Saboia. Para as empresas, gerenciamento de serviços representa uma grande porta para aumentar as receitas e emplacar projetos que vão além da conectividade. Já os clientes ainda estão pragmáticos, tomando ao tomar decisões, inicialmente, baseadas em reduções de custos.

Saboia explicou que o amadurecimento do mercado indica uma consolidação com foco em management services, com operadoras (e outros players) cada vez mais capazes de gerir serviços integrados. “As funções de rede e segurança serão cada vez mais virtualizadas: roteamento, Firewall e Next-gen Firewall, Session Border Controller - SBC, WAN Optimization, WLAN Controller, gerenciamento e Analytics para redes”, enumerou.

Para Saboia, um dos impulsionadores para este movimento é a necessidade de modernização das aplicações com a migração para a nuvem; “Com o movimento de workloads para nuvem torna-se necessária uma rede definida por software para permitir que a comunicação ocorra de maneira eficiente”, disse.

A IDC apontou que mais da metade das empresas que possuem formação de redes de dados terá implementado alguma iniciativa de SD-WAN até o término do ano de 2020. Estudos da consultoria revelam que 47% dessas empresas consideram players diferentes das operadoras para essa implantação. “Como o mercado está em estágio inicial, estamos estimando que adoção desse serviço tenha um crescimento de mais de 70% em 2020, excluindo-se a conectividade”, completa.


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

Icatu Seguros: mudar atendimento ao cliente para a nuvem foi decisão irreversível

Seguradora contratou a CXone, da NICE, para migrar, em tempo recorde, os seus funcionários para o trabalho remoto. "Tínhamos de não perder a qualidade e a eficiência e adaptar o serviço ao dia a dia das casas dos colaboradores", conta o diretor de Marketing e canais, Rafael Caetano.

Destaques
Destaques

Justiça do DF diz que dados em nuvem não têm proteção contra quebra de sigilo

Para o relator do caso, "dados armazenados em nuvem não evidenciam uma comunicação de dados" e, por isso, não estariam protegidos pela legislação. 

São Paulo concentra mais da metade das startups de Inteligência Artificial

Estudo da KPMG mostra que existem, hoje, 702 startups em atuação no segmento no País. Levantamento ainda que, desde 2012 setor atraiu US$ 839 milhões em 274 rodadas de investimento; em 2020 foram captados US$ 365 milhões.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

IA, nuvem e IoT exigem data centers mais eficientes

Por Ed Solis*

Adoção crescente de tecnologias como inteligência artificial, internet das coisas e PoE estão na lista para melhorar o desempenho das redes e a eficiência do gerenciamento.

A Covid-19 e o governo digital

Por Marcos Boaglio*

A digitalização impõe adotar uma cultura de inovação na qual se fomente a experimentação, derrubar barreiras a partir de novos veículos de aquisição e implementar uma classificação de dados moderna, assim como desenvolver capacidades para empoderar os trabalhadores para finalmente aproveitarem as novas tecnologias.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site