TELECOM

Anatel: risco financeiro da Oi no curto prazo está descartado

Ana Paula Lobo ... 11/02/2020 ... Convergência Digital

A Anatel não está mais fazendo um acompanhamento especial da situação financeira da Oi. Em comunicado ao mercado, encaminhado nesta segunda-feira, 10/02, a Oi informa que a decisão foi tomada pela agência reguladora porque não há mais risco de liquidez no curto prazo da Oi e das suas controladas em função dos recentes anúncios feitos pela operadora da venda da Unitel por mais de R$ 4 bilhões e da venda de títulos na ordem de R$ 2,5 bilhões.

A decisão foi tomada na semana passada e comunicada à Oi. A decisão significa que a agência reguladora - que desde maio do ano passado fazia um controle direto da situação financeira da tele - não participará mais das reuniões do conselho de administração, dos comitês de plano de recuperação judicial, de auditoria, entre outros. Também não há mais necessidade de as nomeações da Oi passarem pelo crivo da Anatel.

“Foram revogadas as obrigações cautelares anteriormente imputadas às Empresas Oi e listadas no referido Acórdão, voltando as Empresas Oi a submeter-se ao regime tradicional de acompanhamento imposto pela Anatel às demais concessionárias de serviços de telecomunicações”, explica a operadora em comunicado enviado à CVM. Leia a íntegra do comunicado ao mercado feito pela Oi.


Londrina quer vender Sercomtel por R$ 130 milhões

Tentativa de privatização da operadora, que tem cerca de 400 mil acessos de telefonia e internet, foi remarcada para 18/8, na B3. Prefeitura admitiu o parcelamento na aquisição para atrair interessados nessa nova tentativa.

Refarming vai trazer 5G antes do leilão da Anatel, diz Rodrigo Abreu, da Oi

Executivo adverte, porém, que é necessária uma massificação de verdade na infraestrutura ótica no País. Para Abreu, o leilão tem de acontecer em 2021. “O Brasil não pode atrasar mais”, pontuou.

STF decide que Lei estadual que proíbe fidelização é constitucional

Para a Ministra relatora Rosa Weber, a lei do Rio de Janeiro apenas veda a fidelização, sem interferir no regime de exploração ou na estrutura remuneratória da prestação dos serviços. O objetivo, segundo ela, é apenas a proteção dos usuários.

Faixa de 1,5 GHz também pode ser destinada ao 5G para uso privado

Proposta foi apresentada em reunião do Conselho Diretor da Anatel.  Mas a faixa é usada pela Força Aérea Brasileira para aplicações de telemetria. Agência sugere destinar 30 MHz para satélites, como forma de evitar interferência.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G