TELECOM

Presidente da Anatel arrisca leilão do 5G acontecendo em novembro

Luís Osvaldo Grossmann ... 06/02/2020 ... Convergência Digital

Em que pese o atraso nas expectativas que a própria agência tinha para o edital do 5G, cuja versão proposta segue para uma consulta pública de 45 dias, o presidente da Anatel, Leonardo de Morais, acredita ser viável a realização do leilão ainda em 2020, provavelmente em novembro. 

"Pelo cronograma, ainda podemos fazer o leilão ainda em 2020", afirmou. Além dos 45 dias de prazo da consulta pública, prazo que pode ser esticado se houver pedidos para tal, a proposta de edital volta a área técnica da agência e ganhará novo relator antes de mais uma rodada de deliberações no Conselho Diretor da agência. 

Em seguida, especialmente para avaliar o edital no que diz respeito aos cálculos para a precificação das radiofrequências, ainda precisará passar pelo crivo do Tribunal de Contas da União, que tem prazo regulamentar de 150 dias para se pronunciar sobre o tema.  Mesmo assim, Morais acredita ser possível realizar o leilão até o fim do ano e confia que as primeiras implantações de 5G no Brasil já estejam disponíveis em 2021. 

“As operadoras estão se preparando para uma implantação muito rápida após terem acesso ao espectro. Elas já estão fazendo testes em diferentes cidades do Brasil. Já os pequenos prestadores podem tardar um pouco mais, começar uma discussão com fabricantes, ter outro modelo de negócios, de repente olhar primeiro para banda larga fixa, depois móvel. Um desafio para os pequenos é no core de rede, então devem demorar mais tempo para a exploração da faixa. Já nos grandes, o deployment começa já em cima da rede 4G. E com o espectro vão fazer implantação em poucos meses, ainda em 2021.”

A previsão otimista do presidente da Anatel vai de encontro com as expectativas do mercado. A IDC deixou a quinta geração de telefonia móvel fora das previsões para 2020. A justificativa, explicou Luciano Saboia, gerente de pesquisa e consultoria de TIC da IDC Brasil, deveu-se ao fato de 5G estar sendo muito falado na mídia, mas sem nada concreto no Brasil. “Não têm negócios e nem números para o mercado brasileiro para colocarmos nas previsões. 5G não é real para o ano de 2020, mas é uma realidade. É um fato que vai acontecer no Brasil; o governo não está acelerando o cenário para leilão, as telcos, se puderem, vão retardar os investimentos para recuperar o que já investiram até agora. 5G vai chegar, mas não com número expressivo para 2020, porque não dá tempo”, ressaltou.



Internet Móvel 3G 4G
Caixa Tem amplia compras pelo celular e alcança 2,1 milhões de transações digitais

A partir desta sexta-feira, 29/05, os beneficiários do auxílio emergencial vão poder pagar compras em cerca de 3 milhões de estabelecimentos comerciais do País com o celular. Inicialmente o serviço está disponível nas maquininhas da bandeira Elo.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Anatel vai discutir uso dos espectros ociosos em consulta pública

Proposta de uso do White Spaces entre frequências outorgadas é cautelosa ao prever uso em áreas rurais e regiões remotas.  Ideia é permtir o uso secundário para telefonia e banda larga em áreas rurais e regiões remotas.

Por mudança no plano de recuperação judicial, Oi adia divulgação de resultados

Operadora deveria divulgar os resultados do primeiro semestre nesta quinta-feira, 28/05, mas adiou para 15 de junho. Mas para conter especulações, Oi disse à CVM que possui R$ 6,31 bilhões no caixa.

STF usa caso de lei paulista para cassar decisões sobre antenas no Rio, Minas e DF

Relator de três ações similares, Gilmar Mendes adotou o mesmo entendimento firmado pelo Supremo quando derrubou legislação estadual de São Paulo que restringia instalação de antenas de celular. 

Algar Telecom contabiliza aumento de 26% na carteira de clientes B2B

Operadora diz que não sentiu efeito da Covid-19 nos resultados do primeiro trimestre, mas reforçou o caixa como forma de precaução, com a emissão de R$ 150 milhões em debêntures em abril. O objetivo da captação foi garantir um colchão para “o cenário de incertezas”.




  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G