Home - Convergência Digital

Faltam profissionais para cuidar dos ataques cibernéticos no Brasil

Convergência Digital - 06/02/2020

O governo admite na Estratégia Nacional de Segurança da Informação, a e-ciber, publicada nesta quinta-feira, 06/02, no Diário Oficial da Uniao, que o Brasil possui poucos profissionais especializados em segurança cibernética e que há uma baixa conscientização dos usuários da Internet com relação ao tema. Para o governo, é urgente criar um programa nacional destinado à formação técnica nos órgaos do governo e nas empresas privadas.

A e-ciber sustenta que "urge a necessidade de um programa de capacitação de abrangência nacional destinado à formação técnica e ao aprimoramento de recursos humanos com vistas a fortalecer a segurança cibernética nos órgãos de governo e nas empresas privadas. Nesse contexto, as instituições públicas devem buscar a articulação e o fortalecimento na área de segurança cibernética, por meio de ações colaborativas e de parcerias com o setor privado, com a academia e com o terceiro setor, no País e no exterior, para estimular o contínuo desenvolvimento de massa crítica e de talentos. Visualiza-se como uma das alternativas possíveis, a disponibilização de treinamentos gratuitos em segurança cibernética em plataformas virtuais de governo."

Ainda conforme o governo, "o investimento em capacitação de profissionais de segurança - gestores, analistas e mesmo operadores - objetiva a adoção não apenas de uma atitude preventiva ou reativa diante de ameaças e de incidentes cibernéticos, mas também de uma atitude consultiva, o que resultará em maior confiança por parte das áreas finalísticas de suas instituições, e em menor resistência, em caso de recomendações." Há ainda o alerta que, em geral, as equipes de segurança enfrentam uma disparidade entre a disponibilidade de mão de obra qualificada e a sofisticação das ameaças, sendo de suma importância o investimento na capacitação de profissionais para que possam, de modo eficaz, enfrentar os desafios.

A e-ciber estudo divulgado pela Brasscom - Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação, no qual o mercado de tecnologia no Brasil precisará de aproximadamente 70 mil profissionais ao ano até 2024, número que poderá representar um déficit de 260 mil pessoas qualificadas no período. A Estratégia Nacional de Segurança da Informação foi publicada no Diário Oficial da União.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

23/10/2020
Receita Federal alerta para fraudes em sites que simulam Sistema de Leilão Eletrônico

22/10/2020
Teletrabalho: incidentes de segurança crescem mais de 25% no Brasil

21/10/2020
Com alta de 80% no phishing, bancos alertam sobre cadastro no PIX

13/10/2020
Brasil é um dos países que lançou ransomware Trickbot contra os EUA

24/09/2020
Brasil é terceiro país do mundo com mais ataques a maquininhas de cartão

10/09/2020
Zoom é isca em 99% dos ataques com ferramentas de ensino online

03/09/2020
Incidentes de segurança afetam 61% das empresas, mas só 33% têm contingência

26/08/2020
Fraudes aumentam na pandemia e chegam a 4 de cada 100 compras pela internet

21/08/2020
Vulnerabilidade em chips Wi-Fi permite a interceptação de dados

13/08/2020
Fake News faz um em cada oito internautas brasileiros ser vítima de ataque hacker

Startup cria time de cientistas de dados para avançar nos negócios

Com sede nos EUA, a Fligoo atua nos segmentos de finanças, educação e saúde, e sabe da relevância de ter profissionais capacitados para lidar com os dados. "Prepare-se o tempo todo. Estude. Não espere a necessidade chegar", aconselha Leandro Ferrado.

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Futuro sem aposentadoria – qual a saída?

Por luis Macedo*

O futuro financeiro nunca foi tão incerto. A aposentadoria "oficial", pelo INSS, fica cada vez mais distante para muitas pessoas, especialmente porque o mundo do trabalho mudou. Uma alternativa para uma parcela significativa da população que não tem carteira assinada são os fundos de previdência. O problema, no entanto, é a infinidade de fundos que existem.

Destaques
Destaques

Certificação é critério de seleção para encarregado de dados

Ainda que a LGPD não exija qualificação específica, o mercado busca profissionais com conhecimento na área. Formação pode custar até R$ 6 mil, observou Mariana Blanes, advogada e sócia do Martinelli Advogados, ao participar do CD em Pauta.

Teletrabalho: sem regulamentação, sem direitos, sem deveres, sem regras

Depois da nota técnica do MPT alertando para o direito à desconexão, Congresso tenta acelerar a votação dos PLs que tratam do tema, entre eles o PL 3915/20. O tema é complexo. IN 65, do governo federal, repassa os custos com tecnologia para os servidores no home office.

Ministério Público: Teletrabalho exige direito à desconexão

Ministério Público do Trabalho elaborou uma nota técnica direcionada para as “empresas, sindicatos e órgãos da administração pública”.  Na orientação, sugere a adoção de etiqueta digital para orientação de patrões e empregados.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site