Anatel adia definição sobre as normas para migração das concessões de telefonia

Luis Osvaldo Grossmann ... 22/01/2020 ... Convergência Digital

A Anatel apresentou nesta quarta, 22/1, propostas de normas relacionadas à conversão das concessões de telefonia fixa, prestadas em regime público, para autorizações de serviço em regime privado, conforme previsto no novo marco legal do setor, a Lei 13.879/19. Além de um novo Plano Geral de Outorgas, elas incluem um regulamento de adaptação, o termo unificado de serviços e a metodologia de cálculo para o saldo a ser transformado em investimentos. 

“Pedi para trazer esse tema nesta reunião extraordinária porque a celeridade impacta diretamente em seus resultados. Esse processo gera a sensação do gelo derretendo. À medida que chegamos perto do fim das concessões, a capacidade de geração de investimento dessa adaptação vai diminuindo. A cada dia mais perto de 2025 o saldo fica menor”, afirmou o relator das normativas, Emmanoel Campelo. 

Não adiantou. Como já virou praxe no Conselho Diretor da Anatel, houve pedido de vista, no caso, do conselheiro Vicente Aquino, ainda que o tema tenha sido previamente discutido entre os gabinetes, como lembrou o conselheiro Moises Moreira. “Até fiquei surpreso com o pedido, porque discutimos muito esse assunto”, pontuou. 

O novo PGO já passou até por consulta pública e basicamente incorpora a nova legislação e abre a possibilidade de que as empresas solicitem a transformação das concessões em autorizações, registrando que o saldo decorrente dessa mudança deverá ser revertido em investimentos relacionados às políticas públicas definidas pelo governo federal. 

A minuta de regulamento de adaptação, ainda a ser submetida à consulta, prevê a forma e os prazos em que as concessionárias poderão requerer as adaptações dos contratos. “Após o regulamento, concessionarias terão prazo de seis meses para pedir e depois de autorizado 60 dias para assinatura. Até porque o saldo é afetado diretamente pelo prazo”, anotou Campelo. 

A conta do saldo, explicou, será composta da soma da desoneração resultante da troca de concessão por autorização, que elimina uma série de obrigações; as desonerações resultantes de mudanças nas metas de universalização, como o fim dos orelhões no PGMU 4 ou anteriores, a exemplo da troca de postos de serviço por backhaul; e ainda os bens reversíveis. De tudo, podem ser deduzidas “eventuais indenizações autorizadas pela agência”, que envolvem essencialmente investimentos não amortizados. 

No caso específico do valor relativo aos bens reversíveis, a proposta apresentada pelo relator é que ele seja calculado ou pelo valor financeiro, ou pelo valor econômico, ou seja, a capacidade de geração de receita, “devendo ser considerado o valor que for maior”, explicou. 

Ainda que considerada a urgência expressa, o pedido de vista adiou o avanço do assunto, pelo menos, até 6 de fevereiro, data da próxima reunião do Conselho Diretor. Pela proposta à mesa, o regulamento da adaptação ficará em consulta por 45 dias e a Anatel fará uma audiência pública em Brasília para discutir o assunto, além de duas reuniões de discussão – curiosamente sem o caráter de audiência pública – uma em Manaus, outra em Fortaleza. 


Internet Móvel 3G 4G
Huawei dá o troco e Qualcomm alerta para o risco dos EUA perder muito dinheiro

Em documentos ao governo dos EUA, a fabricante adverte que o bloqueio não vai impedir acesso da fabricante à tecnologia de ponta, mas sim prejudicar os fornecedores americanos, inclusive, no 5G. Huawei já avisou que Mate 40 será último com chip Kirin.

Anatel recria 10 colegiados após extinção por Decreto presidencial

Uso do Espectro, Defesa dos Usuários, Prestadoras de Pequeno Porte, Aferição da Qualidade, Ofertas de Atacado, Acompanhamento de Redes são alguns dos grupos reestabelecidos pela agência. 

Reclamações contra oferta de banda larga crescem 40% com a quarentena da Covid-19

Queixas na Anatel cresceram especialmente a partir de março. No conjunto dos serviços, agência recebeu 1,52 milhão de reclamações entre janeiro e junho. Também houve um aumento de 20% com relação à telefonia móvel.

Oi quer corte de dívida com Anatel por desequilíbrio na concessão

“Tem que fazer um PGMU mais leve para que a gente possa respirar”, defende a diretora regulatória, Adriana Costa. Anatel esclarece que concessão não é sinônimo de lucro garantido. 

Huawei defende reserva de 500 MHz da faixa de 6GHz para as teles

Para o diretor da Huawei Brasil, Carlos Lauria, a reserva técnica é a melhor garantia para aguardar a evolução da tecnologia. "Se der tudo agora, não tem como voltar atrás depois", observa o executivo.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G