TELECOM

Teles terão selo de qualidade e nota ruim permitirá quebra de contrato

Luís Osvaldo Grossmann ... 12/12/2019 ... Convergência Digital

A partir de 2021, as operadoras de telecomunicações vão receber, a cada seis meses, um selo, com notas de A até E, para indicar aos consumidores qual o grau de qualidade da prestação dos serviços em cada município, região e no país. Um novo regulamento de qualidade, aprovado pela Anatel nesta quinta, 12/12, modifica a forma como a agência avalia as empresas e passa a incluir a pesquisa de satisfação junto aos clientes como indicador regulatório. 

“Aqui se busca uma mudança de paradigma. O modelo proposto traz indicadores que refletem com maior precisão as condições de qualidade experimentadas pelo usuário, ou seja, aquilo que efetivamente ele experimenta, com empoderamento do consumidor. É um modelo de regulação responsiva, para incentivar o regulado a cumprir com ações regulatórias”, resumiu o relator do texto aprovado, Emmanoel Campelo. 

A norma prevê que nos próximos 12 meses será criado um grupo técnico de qualidade e a transformação da atual EAQ, que mede a qualidade da banda larga, em ESAQ, para também avaliar os indicadores técnicos dos demais serviços. O grupo técnico, com Anatel, ESAQ e empresas, vai definir o manual de operação, o método, e os valores de referência para os indicadores. 

Seis meses a partir da aprovação dos indicadores, a Anatel vai divulgar os primeiros selos de qualidade. “O selo de qualidade traz informações mais claras e compreensíveis para o usuário saber qual empresa presta o melhor e o pior serviço em sua região. Isso sem duvida terá impacto nas vendas e no market share, na lucratividade e na relação com os investidores. Portanto, se trata da imposição de um modelo de regulação baseado em qualidade”, afirmou Campelo.

Para reforçar essa ideia, a empresa que for rebaixada para os selos D e E vai ser considerada como tendo descumprido obrigação contratual. Ou seja, nesses casos, os consumidores poderão exercer a quebra de contrato sem pagamento de multa por fidelidade. 

No geral, a proposta enxuga os atuais 53 indicadores técnicos e passa a considerar apenas 10, a partir de uma nova fórmula baseada na combinação de um índice de qualidade de serviços, outro índice de qualidade percebida e um terceiro baseado nas reclamações dos usuários. 

“O intuito dessas mudanças é obter maior resposta a partir dos novos instrumentos, frente às insuficiências do atual modelo, inteiramente baseado na lógica de comando e controle. O consumidor dotado das informações necessárias passa a ser um agente ativo na regulação do mercado. E é nesse sentido que esta agência caminha”, concluiu o presidente da Anatel, Leonardo de Morais. 


Internet Móvel 3G 4G
Carteira digital representou apenas 0,03% dos pagamentos recorrentes no Brasil

Pesquisa, produzida pela Vindi, com dados de 2019, mostra que o cartão de crédito, com larga vantagem, e o boleto bancário são as duas opções preferidas do brasileiro. No mercado de meio de pagamentos, a Cielo manteve a liderança, mas as startups, como a Stone, cresceram e apareceram.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Dataprev contrata Claro por R$ 236 mil para ter fibra ótica no Rio de Janeiro

Contrato, publicado no Diário Oficial da União, prevê a interligação dos prédios do data center da estatal de TI no Rio de Janeiro à filial na mesma cidade, no bairro de Botafogo.

Autor da nova Lei das teles lidera entidade para brigar por banda larga

Ex-deputado Daniel Vilela vai presidir a Aliança Conecta Brasil F4, que nasce com apoio da Huawei, FiberX e da consultoria Teleco, mas quer novos associados. “Não existe economia digital sem infraestrutura”, afirma.

Consumidores: Banda larga é o serviço com menor satisfação, celular o melhor

Para a Anatel, como o padrão de consumo exige estar sempre online, percepção de qualidade é especialmente rigorosa com a conexão à internet.

Decreto da nova Lei de Telecom depende de acerto sobre renovação de frequências

“Entendemos que é melhor que a Lei também seja aplicada para os contratos vigentes e estamos tentando construir uma posição única de governo”, explica o secretário executivo do MCTIC, Julio Semeghini. 




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G